sábado, 4 de outubro de 2008

Capitão Nascimento, Macaco Tião, Eleições

"Quer voar, eleitor?" Antes que Capitão Nascimento retorne as telas e seja candidato ao próximo pleito assim como foi tempos atrás, na época do voto de papel, o inesquecível Macaco Tião que nas eleições de 1988 chegou a ter 130 mil votos; vale lembrar que amanhã, dia cinco de novembro, é dia de irmos às urnas.

De todo programa eleitoral gratuito que por vezes parece mais uma "Zorra Total", jamais vou esquecer de um candidato tapa buraco de partido que literalmente me fez rir e rir muito..."Ponha fermento no seu voto, vote em mim - Beltrano da Padaria" . Tá certo seu padeiro, não esquecerei de colocá-lo na próxima fornada. Enfim...

Neste domingo quase 2 milhões de pessoas irão exercer "obrigatoriamente" sua cidadania. Digo "obrigatoriamente" porque sou a favor do voto facultativo apesar de achar que não estamos preparados e amadurecidos para tamanho exercício "facultativo" de cidadania.

Por aqui em casa, decidimos esquentar o segundo turno. Papai, com seus 70 anos, decidiu não mais votar - cansou de tanta obrigatoriedade na vida dele e vai exercer sua faculdade no voto de forma plena, tomando cerveja dentro de casa, isto só porque o dono da padaria que ele frequenta resolveu ser politicamente correto. Mamãe como sempre, vai votar resmungando. Maninho e cunhadinha exercerão o voto útil. Benhê, depois de anos de vida hippie e nômade, decidiu pagar sua divida com a justiça eleitoral e vai votar para acirrar a disputa no segundo turno. Eu, me nego a exercer o voto útil, portanto, vou acirrar junto com o benhê a disputa para um segundo turno no RJ. Meu primo, cabo-eleitoral de um vereador, corre o risco de parar novamente na delegacia. Minha inquilina, igualmente cabo-eleitoral de um outro candidato a vereador, também corre o risco de parar na delegacia. Enfim..."alae jact est"

Mas vamos lá...dicas colhidas no site do TSE e Portal G1. Aliás o site do TSE está maravilhoso e com simulações para quem ainda não tem conhecimento e dominio da urna eletrônica. Inclusive, o site disponibiliza para o eleitor consulta sobre o local de votação.

A votação é simples. Primeiro o eleitor vai escolher o candidato a vereador. Basta digitar os cinco números dele e apertar a tecla confirma. Quem quiser votar na legenda, deve apertar os dois números correspondentes ao partido e confirmar.

Na seqüência, o voto é para prefeito. Agora a urna eletrônica também traz a foto do candidato a vice. Depois de digitar os dois números, é só confirmar.

Para votar em ‘Branco’, basta clicar na tecla ‘Branco’ e, em seguida na tecla verde para confirmar.

No caso de querer anular o voto, o eleitor deve digitar um número de candidato ou partido inexistente e apertar a tecla ‘Confirma’.

E para votar apenas na legenda do candidato, basta digitar apenas o número do partido e pressionar a tecla verde para confirmar.

Esqueceu o número do candidato? Na seção eleitoral estará afixada a lista completa com os nomes e números dos candidatos. É só consultá-la. Mas se você digitou o número errado é só corrigir a operação usando a tecla laranja, e começar o processo novamente.

• O eleitor que não portar o título no dia da eleição pode votar?

Sim. O eleitor está apto a votar mesmo sem portar o título de eleitor no dia da eleição, mas é preciso levar um documento com foto. Caso tenha perdido o título e não consiga tirar segunda via, é possível votar apenas com um documento com foto, caso saiba qual é a seção de votação.

• Qual é o horário de início e término da votação?

O recebimento dos votos começa às 8h e termina às 17h. Quem estiver na fila após o fim do prazo tem garantido o direito de votar.

• Quem tem preferência para votar no dia da eleição?

Terão preferência para votar os candidatos, os juizes eleitorais, seus auxiliares de serviço e servidores da Justiça Eleitoral,os eleitores maiores de 60 anos, os enfermos os portadores de necessidades especiais e as mulheres grávidas e lactantes.

• A quem o voto é facultativo?

Analfabetos, maiores de 16 e menores de 18 anos, maiores de 70 anos, portadores de deficiência física ou mental que requererem à Justiça Eleitoral justificação para o não-cumprimento da obrigação.

• O que eu faço se não puder comparecer à votação?

O eleitor pode justificar a ausência, no dia da eleição, em qualquer local de votação ou posto de justificativa. No local ele deve retirar o formulário de requerimento de justificativa eleitoral, preencher e apresentar com o titulo ou algum documento de identificação.

Se você estiver doente ou tiver qualquer outro problema, deve procurar o seu cartório eleitoral para fazer a justificativa até 60 dias depois das eleições, munido dos documentos que comprovem o motivo da ausência.

Se o município tiver segundo turno o eleitor também precisa fazer a justificativa, pois os dois turnos são eleições independentes. E no caso do eleitor que estiver no exterior no dia da eleição, o prazo para fazer a justificativa é de 30 dias contados de seu retorno ao país.

• O que acontece se eu não votar e não justificar a minha ausência?

O eleitor que não votar nem justificar sua ausência nos prazos determinados pela Justiça Eleitoral deverá pagar uma multa imposta pelo juiz eleitoral. Sem a prova de que votou, pagou multa ou de que se justificou devidamente, o eleitor não poderá:

- inscrever-se em concurso para cargo ou função pública, investir-se ou empossar-se neles,
- obter passaporte ou carteira de identidade,
- renovar matrícula em estabelecimentos de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo,
- obter empréstimos em estabelecimentos de crédito mantidos pelo governo, em autarquias, sociedade de economia mista, caixas econômicas federais ou estaduais, nos institutos e caixas de previdência social.
- participar de concorrência e praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda. Se o eleitor deixar de votar em três eleições consecutivas, seu título será cancelado.

• O que não posso levar comigo na hora de votar ?

No recinto da mesa de votação o eleitor não poderá fazer uso de telefone celular, equipamento de radiocomuicação ou outro equipamento que possa comprometer o sigilo do voto.

• O que é proibido no dia das eleições ?

No dia da eleição é proibido usar auto-falantes e amplificadores de som ou realizar comício ou carreata. Fazer boca de urna e divulgar qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de seus candidatos, por meio de publicações, cartazes, camisas, bonés, broches ou anúncios em vestuários. Desobedecer às normas consiste em crime eleitoral, com penalidade de detenção de seis meses a um ano, com alternativa de prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período e multa.

• Alguém têm como saber em que candidato eu votei ?

A urna eletrônica é um meio seguro de votação. Nem mesmo os juízes ou técnicos da Justiça Eleitoral têm como saber em quem os eleitores votaram. O direito ao sigilo do voto é uma importante conquista e permite que você exerça sua cidadania votando, exclusivamente, com base na sua consciência.

• Quanto tempo o eleitor pode ficar na cabina de votação ?

Poderá permanecer na cabina o tempo necessário para exercer o seu direito/dever de votar, ou seja, indicando o número dos candidatos de sua preferência.

• O eleitor pode pedir ajuda aos mesários na hora de votar ?

Pode, mas somente quanto à maneira de votar. Aos mesários é proibido orientar o eleitor quanto às teclas numéricas que devem ser digitadas, não podendo, em hipótese alguma, ficar ao lado do eleitor, para que seja preservado o sigilo do voto.

• Como vota o eleitor deficiente visual ?

Nas seções onde previamente a Justiça Eleitoral foi informada de que há eleitor com deficiência visual, haverá fone de ouvido para que ele possa ouvir o que está digitando E, ainda, a urna conta com identificação numérica em braile em cada uma das teclas para facilitar a votação. É emitido também um rápido sinal sonoro após a digitação de cada tecla e um longo sinal ao final da votação.


Fonte: G1 e TSE.



Curiosidades dos anos 80:
Macaco Tião, era um chimpanzé mal humorado que existia no Zoologico do Rio de Janeiro, ficava atirando coisas nas pessoas que visitavam sua jaula. Foi um ícone nos anos 80 por ter sua candidatura lançada a prefeito do RJ pela turma do Casseta e Planeta, na época não existia a urna eletrônica, com isso Macaco Tião conseguiu votos suficientes para chegar em segundo lugar.

Um comentário:

Adao Braga disse...

Eu me lembro do Macaco Tião, lembro da reportagem, e também da noticia de quando ele morreu.
Uma pena que hoje, com as UE, não se consiga tal expressão popular.