sábado, 24 de maio de 2008

Opção em ser águia...

Isso aqui é papo de estudante, concurseiros. Sabe quando você fica falando sozinho, procurando respostas? Pois é...dia desses estava assim...no máximo de um stress e procurando meus erros, enquanto o maridão dava pulinhos de alegria com minha ultima pontuação num concurso que fiz. Apesar de uma excelente pontuação, não entendia tanta alegria vinda dele, afinal, nem havia gabaritado e ainda cometi erros primários em questões primárias. Errar apenas duas questões em cada tópico é o limiar entre a aprovação e a classificação num concurso de apenas 3 vagas. Mas será que me cobro muito? Ou tem que ser assim mesmo, um processo eterno de estudos,  acertos e erros?

..............

Faz tempos que não sintonizava em "O Aprendiz", programa da cavalgadura Roberto Justos. Nas primeiras edições do programa até assistia, incentivada pelo meu irmão, que é administrador e fez pós e mestrado em marketing - um cara altamente corporativo e chato no seu corporativismo. E até que gosto desse mundo de poucas palavras e muito foco em objetivos, cronogramas, resultados e prazos. Mas, semana passada, mexendo no controle da tv, me deparei com um quizz ridiculo, que desafiou minha burrice mental. Apesar de que, eu juro que não sabia ser o holandês uma das linguas oficiais da América do Sul, bem como a ordem cronológicas dos últimos ministros. Mas àquele programa é uma disputa tão soberba e tão repleta de vaidade que os candidatos erram as perguntas mais simples. Mas, numa coisa o Justos está corretissimo: como pode alguém pretender  ser um grande executivo se não tem o minimo de domínio de cultura e conhecimento geral? Foi o que ele argumentou a um dos candidatos que estava na berlinda.

No final, Justos não é tão injusto assim, nem tão cavalgadura assim. Apenas um empresário, como tantos outros que por ai existem e que sabem o valor e o quão necessário se faz: o conhecimento. Se você quer ser o melhor, tem que procurar ser o melhor, sem esquecer de você mesmo - complementaria. Mas não é devorando tudo de uma vez que você vai tirar o melhor de si. É um processo lento, de dia-a-dia, de horas dedicadas e algumas anulações no meio do caminho. E isso é phoda.

Willian Douglas é um juiz-federal; daqueles caras que possui propriedade de falar sobre concursos públicos, sobre vitória, derrotas, depressões, pois é o cara que passou em quase todos os concursos que fez e teve que vencer a si mesmo em vários momentos. E eu gosto de ler os textos dele, pois tem horas, como universitária, estagiária, concurseira, dona-de-casa, mulher, esposa...que dá vontade de fraquejar, pegar o carro e sair por ai viajando no próximo final-de-semana - coisa que mais amo fazer.  Mas, ando muito águia.

Dia desses, mostrei um artigo de Willian Douglas a três amigos meus. Todos os três extremamente estressados por algo que aconteceu em setores distintos de suas vidas; trabalho,  estudo e relacionamentos. Usei o artigo abaixo, que é destinado inicialmente aos concurseiros, por ser aplicável a todos os setores de nossas vidas. Ele fala de focos, determinação, seleção e muitas vezes, anulação. Mas, nada do que tão bem descreve Douglas, valeria a pena se não tivermos apoio. Não adiantaria nunca querer ser águia, se vivo dentro dentro de  eternos galinheiros com pessoas que adoram fazer cocoricó. "Alguém no mundo, precisa me entender" - falou uma amiga recentemente após perceber que não havia paz na sua dedicação em estudos para  prova de OAB. E apresentei à ela um outro texto de Douglas que fala de um cara que sobreviveu ao galinheiro; um feedback que Douglas teve de um dos seus seguidores - um grande exemplo, por sinal.

Mesmo assim, o apoio da família, dos amigos, faz o grande diferencial para que nossa fortaleza seja de pedras. Mas, e se você não tiver? Vai desistir? Trabalhar, estudar e ainda ter uma familia para cuidar, é punk...é de pirar o cabeção, mal dá para exercer o lado de amante. E quando você pega mais de uma condução para chegar ao teu trabalho, tem um chefe chato, um atividade estressante e ainda vai direto para a faculdade? Quando sai da faculdade depois das 23:00 horas, chega em casa mais de meia-noite e ainda encontra reclamação? Nossa...tem que ser corajoso e determinado. E a maioria dos universitários que estudam a noite, tem uma rotina assim. Quando se é mulher, tudo fica mais dificil, complicado - tem sempre um filho pedindo atenção e um marido mandando você lavar a cueca dele...

- Impossivel, é Deus pecar. Diria minha avó.

Temos que vencer a nós mesmos o tempo todo, imagine então, o quão difícil é vencer também àqueles que não tem a mesma visão que a nossa, ou a comunhão de objetivos? Como vou explicar para meu marido que tenho aula num sábado de um feriado prolongado se ele não comungar com os mesmos objetivos que o meu? No mínimo, entender os meus objetivos que vão além das tarefas domésticas?  Mas, homem parceiro é foda...sempre vai olhar a bruxa como princesa, vai dizer que àquele cheiro de alho nas mãos lembra o perfume preferido e ainda vai dar fazer um shiatsu e preparar teu escalda pés. Ele, sempre vai dar um jeitinho no teu UP. E ainda é capaz de discutir assuntos que não domina só para que você não desista. E de vibrar por você, enquanto você ainda procura seus erros.

Como universitária, estagiária, concurseira, dona-de-casa, mulher, esposa...posso dizer: Cansa. E uma noite perdida jamais será recuperada em saúde. É o ônus de uma escolha profissional. Mas, sempre procurei o mais...e depois de umas porradinhas e sustinhos, procurei o mais com equilibrio, com qualidade de vida. De qualquer forma, odiaria dialogar, bater papo, discutir assuntos que vão desde as amenidades domésticas a politica internacional com um cara que  tão somente pensa com o pênis. Acabamos nos tornando um pouco mais seletivos também - faz parte.

Essa busca por algo de melhor, é muito cansativa, principalmente quando se está sozinho no meio do galinheiro. E tudo ao teu redor te cobra para mais ou para menos.  Você acaba batendo palma para maluco dançar.

Tem que haver o equilibrio entre aquilo que se busca e o que há de atual e prazeroso na sua vida. Nâo dá para dar foda-se a tudo que lhe cerca, só porque você quer ser o primeiro colocado na prova, ou quer ganhar a promoção do chefe fazendo seguidas horas-extras. Até porque você vai descobrir que não é o único candidato naquela prova e que não é insubstituível no seu trabalho.  Essa busca pelo diferencial é chata, cansativa, soberba...mas o próximo tema da redação será o diferencial no teu conhecimento, teu sucesso, ou teu fracaso temporário. O que não pode mais haver são desculpas...E como tem gente que arruma desculpas. Culpa tudo que lhe rodeia, mas adoraria estar sendo um dos candidatos a sócio do Justos. Só que, para encarar a fera, tem que tentar ser fera.

Mas, o legal é tentar...com disciplina, objetividade, critérios...nunca esquecendo de arrumar tempo para àqueles que torcem por você, mesmo que para isso custe o surgimento de algumas rugas, olheiras e alguns cabelos brancos.

No final, não se preocupe, você terá dinheiro para o dermatologista e as eternas idas aos salões.

•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•¸.•*´¨`*•¸.•

Todos os homens têm valor igual. Como aprendi na Faculdade de Filosofia, UFRJ, o homem que souber todas as coisas não saberá o que é ser ignorante. O homem repleto de bens e propriedades não tem a tranqüilidade do pescador humilde; o grande executivo pode não ter a vida pausada do porteiro. Não existe nada de graça: todas as coisas possuem seu preço e seu respectivo ônus.

(Willian Douglas)

Dois grandes teólogos escreveram livros com o tema a águia e a galinha, cada qual com lições distintas e muito interessantes: Frei Leonardo Boff (Ed. Vozes) e o pastor Jorge Linhares (Ed. Getsêmani). Vou me valer de textos do segundo (LINHARES, Jorge. Águia ou Galinha? 27ª Ed. Belo Horizonte: Editora Getsêmani, Ltda. 2005. pp. 38-52), e em seguida comparar suas lições com o concurso público, convidando o leitor a descobrir-se "águia" ou "galinha"...

"Galinha é caça. Águia é caçadora." Você olha a matéria, os livros, as provas como alguém que vai lhe destruir... ou como algo que você vai caçar e vencer? "Galinha tem olhos laterais. A águia, não. Seus olhos são frontais." Animais que caçam (ao invés de serem caçados) olham para frente, para focar o que desejam.

Concursandos que ficam olhando demais para os lados, para os prazeres excessivos, para os problemas... não focam. Águias e galinhas nascem com os olhos "prontos"... mas você pode escolher para que lado vai olhar: para o objetivo ou para os problemas, para o que traz resultados ou para o que atrapalha os resultados pretendidos.

"Galinha só enxerga de dia. Quando o sol se põe, vai para o galinheiro ou poleiro, condenada a virar canja de raposa, cachorro ou gambá. A águia enxerga tanto de dia quanto de noite." E você, estuda de noite? Vira madrugadas? "Águia é vigorosa; galinha, frágil." Para cuidar da vida atual, para se organizar e AINDA CONSEGUIR estudar, fazer cursos, simulados etc. é preciso vigor e disposição.

"Galinha é medrosa. Águia é destemida, corajosa." Estamos voltando à questão de ser caça ou caçador...mas também ao fato de que um bom concursando não deve temer a quantidade de matéria, nem a relação candidato-vaga, nem coisa alguma que esteja entre sua situação atual e a situação pretendida.

"Quando adoece, a galinha fica de asas caídas, jururu, dependente de socorro. Ninguém jamais viu uma águia doente. Quando debilitada, reúne todas as forças que tem para refugiar-se no alto. Não fica por aí à espera de piedade. Autocomiseração não combina bem com a águia." E você, amigo, está esperando piedade alheia ou prefere reunir suas forçar para ir em busca do sonho?

"Galinha se alimenta de milho e restos. A águia, do alto, seleciona a presa, e desce como uma flecha sobre ela." Aqui vale o cuidado com a qualidade dos cursos que faz e dos livros ou apostilas que lê. Não se "alimente" de coisa ruim, pois faz mal! Isto também vale para suas conversas e companhias, para os programas de TV que assiste e tudo o mais que influencie sua mente e sua preparação. O lazer é essencial, mas um bom lazer.

Se você se negar a ter uma visão e um comportamento limitados como os de uma galinha, pode ter certeza que terá o melhor desta terra. Mas ainda há mais: "O ninho de galinha é feito de pena e capim. Da águia também. Mas sob o capim e as penas, retiradas do próprio peito, a águia coloca uma camada de espinhos."

Às vezes é preciso ter, ou ao menos se lembrar, dos "espinhos" para que não nos acomodemos e para que levantemos vôo. São os espinhos da vida, as necessidades, as contas, que algumas vezes nos impulsionam para a vitória. Não é raro ver pessoas com tudo a favor não passarem... talvez por falta de espinhos no ninho, e pessoas com "espinhos" conseguirem passar nos concursos. Não sei se os espinhos são as contas, doença, separação ou o que for, mas espinhos não são limitadores para as águias.

A galinha aceita ficar presa, a águia não. Algumas pessoas aceitam uma situação de "prisão", limitadora, enquanto outras ousam melhorar de vida. A galinha faz seu ninho ao nível do chão, sem pensar alto, coisa que uma águia não imagina. Ela voa, pensa e aninha-se no alto, que é para onde se dirige sempre.

Enquanto há várias espécies de galinha, temos na águia uma espécie rara. Concursandos organizados, estudiosos e que fazem o que é o certo, são raros... e são os que passam, mais cedo ou mais tarde.

A diferença não é o que acontece com a águia ou com a galinha, mas como essas duas aves reagem ao que acontece com elas, como elas encaram sua existência e como lidam com ninhos, espinhos, alimentação, desafios etc. Por isso elas são tão diferentes. O livro de Obadias, na Bíblia, diz "Se te remontares como a águia, e puseres o teu ninho entre as estrelas..." (Capítulo 1, verso 4.).

Este é o desafio: não importa como você foi até hoje, mas sim que se "remonte" como águia, que é o que você já é ou pode vir a ser. Para ser um concurseiro-águia, basta pensar e agir como um, pois "somos o que pensamos e fazemos".

Ponha seu "ninho" entre as estrelas: você merece.

William Douglas

PS: O texto que Douglas desenvolveu após feedback de um candidato - Concurso é Maracutaia

5 comentários:

Adao Braga disse...

Ué! Quase pediu para sair! Quer o ouro nega, deixe ali o seu couro!

Algumas mulheres vivem mesmo num sistema de trabalho escravo, mas, também, quam manda não ter aprendido as lições antigas de como domar ou adestrar maridos?

Beth disse...

Lá vem tu com tuas conspirações machistas ......... hehehehehehe
Dá vontade de desisti
Mas sou brasileira e não desisto nunca.
beijocas fofucho

Gallahad Schneider disse...

Oloco heim moça, e eu que achava que eu que gostava de escrever ;)

Voltei a postar no meu blog
Ah nao consigo acessar o do marquinhos :T

bjao querida
;*

Beth disse...

Vixi meu mineirinho gatérrimo!!
Como é que anda nossa STL???
Veja bem...Marcos encerrou o blog dele...tá meio que suspenso.
Vou te visitar ok???
beijocas

DM disse...

VAQUÉRRIMA ...

Adorei, seu texto, o tal Douglas, a águia, a galinha ... Para se vencer em qualquer coisa na vida, sempre haverá ônus e alguns até bem pesados.... Mas não tem outro jeito mesmo !

Simplesmente amei o texto, e as lições de vida nele expostas !!!

Beijões