sábado, 17 de maio de 2008

Fantasias - Parte I: O Bombeiro e a Colegial

 

colegial1[1] Tive um casal de amigos, daqueles que passam pela sua vida, ficam um tempo e depois somem no mundo. Eles foram amantes durante um longo tempo; na época, ambos deveriam beirar seus quarenta e poucos anos. E após anos de um romance meio que escondido,  ele tomou coragem e se separou. Casou-se com ela, que ele dizia ser o grande amor da sua vida.

No entanto, antes do final feliz acontecer, ela entrou em pânico quando soube da separação dele e  ficou em depressão com o pedido de casamento.  Foi na contramão de toda a amante apaixonada. Chegaram a ficar um tempo afastados para que ela superasse os medos que estavam destruindo-a. Chegou a pedir licença do trabalho, viajou, ficou ausente, sem dar noticias. Ela tinha medo, tão somente medo de viver maritalmente ao lado do seu grande amor proibido.

Após voltar a realidade e superada essa fase, ela nos contou que temia por uma  rotina que atrapalhasse o que eles conquistaram durante os anos de um amor escondido, de uma paixão silenciosamente gritante entre quatro paredes. Ela temia que com o casamento sumisse o entregador de pizza, o mecânico, o entregador de gás, o encanador. Que as fantasias cultivadas a cada encontro e reencontro não existissem mais com o dia-a-dia de marido e mulher, com as manias, com o cansaço. E se tudo isso terminasse, então, na visão dela  o casamento também acabaria. A conquista teria sempre que existir no dia-a-dia deles - era a única exigência que ela fazia, sem precisar dizer uma só palavra.

Sai da empresa na qual trabalhávamos e nos afastamos, nunca mais tive notícias do casal. Recentemente, encontrei-a no shopping. Era uma belissima senhora, de uns quase 60,  de cabelos ruivos, olhos azuis, cheia de compras na mão. Reconheci-a de imediato, conversamos horas a fio. Quando perguntei por ele e como ela havia superado a71789a16e191b99525c91d191a091ddtodos àqueles medos, respondeu: "Continuamos sendo amantes e já estamos casados a 15 anos. Se somarmos a época em que éramos tão somente amantes mais o tempo de casados; estamos complentando bodas de prata. Mas, mudando de assunto: você sabe se há no bairro alguma loja que venda saia plissada, ou o uniforme completo daqueles usadas pelas normalistas? Não quero àquelas já manjadas de  sex-shop. Hoje meu prédio vai pegar fogo."

- Claro que sei! Tem uma loja no bairro ao lado que vende até o sapatos bonecas.

Acho muito bacana esses casais que se reconquistam a cada dia. Bom saber que é realmente possivel estar ao lado de alguém durante anos e anos e ainda enxergar o parceiro como se namorados fossem, ou amantes eternos.

Com uma boa dose de humor e em homenagem à esse casal lindo!!

tira_fantasia2

4 comentários:

Gabriel disse...

no casamento as reconquistas diarias são sempre necessárias...sempre

Adao Braga disse...

Tá! Muito interessante! Mas, informa aos curiosos uma só coisa:

- Com qual frequencia, você visita a loja que você disse ter todos este arsenal?

rs rs rs

DM disse...

Show!!! Belo exemplo a seguir !
Se bem que as vezes na vida prática, as vezes ficam dificil, principalmente quando se tem filhos ... Ma bem que a gente tenta !!!

Tatá disse...

Amore, adorei o texto.
Incrível!!!
Espero que eu consiga seguir o exemplo!!!

Saudades de passar aqui.

Beijão