segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Insegurança Momesca

Estava procurando um comentário, que havia feito tempos atrás num espaço de um policial civil que relatava uma pane ocorrida no "sistema" e, que prejudicou o registro de algumas ocorrências criminais na cidade maravilhosa. Pois bem, não achei o tal espaço, não favoritei e acabei perdendo-o nas entrelinhas do mundo virtual. Mas perguntei ao dono do blog: será que em tempos virtuais os dedinhos e os formulários escritos a mão não mais funcionam? O sistema emburreceu a todos? Pois você pode preeencher um registro a mão, protocolar e etc e tal...ou será que não?

Bem, mas fiquei clicando daqui e dali, pois gosto muito de ler alguns "caras cabeças" de nossa Polícia Civil e Polícia Militar, pois sou estudante de Direito e alguns de meus professores fazem parte da corporação. Gosto muito de lê-los. Mas nesse clicar, acabei carnaval_2008achando uma coisa muito "legal prá caramba". Pois foi super legal os caras já avisarem à população, através do blog/site, que eles farão ou pretendem fazer uma grevezinha básica em época de folia de momo. O nome do título do artigo é: Carnaval 2008 no Rio, pode ser uma aventura.

Nada contra o direito de greve! Pelo amor de Deus! Não distorçam as palavras de quem já fechou a Gama Filho e tacou ovo na cabeça do reitor quando tinha 20 anos de idade. Greve é um direito constitucional. Mas meus queridos "Papa Charles"...vejam bem: essa greve têm que necessariamente ocorrer em época de carnaval? É sabido que nessa época do ano, o índice de crimes aumentam e os números de acidentes no trânsito superam o ano anterior, sendo assim, justamente nesse período tão caótico de bumbum paticubum prugurundum só estaremos resguardados por àqueles que fazem o policiamento ostensivo?

Em tempos de Capitão Nascimento...só mesmo relembrando Titãs.

...Dizem que ela existe
Prá ajudar!
Dizem que ela existe
Prá proteger!...

Dizem..e...Dizem

Mas valeu pelo aviso! Obrigada!

22 comentários:

Fernanda disse...

Mas Beth, é sempre assim, os pilotos de avião fazem greve nas férias de Verão, os motoristas de autocarro fazem greve nas horas de ponta, etc, etc, ou seja, quando conseguem fazer a ausência deles mais notada. Lógico! Nada bom para nós utentes, mas muito bom para eles!
Feliz ano 2008!
Bjsss

Pedro Brand disse...

Minha amiga querida! Isso é o sistema desprotegendo o sistema. E ainda zombam da nossa cara com um banner ridiculo desses.
Ainda bem que não passarei o carnaval no Rio de Janeiro.
beijão gatona

Eduardo disse...

Olá Beth.
Primeiramente, devo dizer que não conhecia seu blog, mas pelo pouco que li já gostei do estilo dos textos, e já coloquei no favoritos para ler com mais calma depois.
Cheguei aqui pois vi um link que você colocou para o Caso de Polícia, um blog que mantenho há alguns meses.

Primeiro gostaria de esclarecer que, no sistema da Delegacia Legal, quando dá alguma pane (e não é muito raro isso...), realmente os policiais de plantão não têm como fazer nada. Isso porque a idéia é que, sendo tudo feito e gravado instantaneamente na intranet, não há como se fazer alteração posterior. Com isso os idealizadores achavam que estavam dificultando a corrupção na Polícia Civil, ou ao menos isso é o que alegam. O que ocorre é que nada mais é feito nas delegacias informatizadas que não seja pelo sistema. Portanto não há como protocolar nada mesmo, não existem formulários ou coisas do gênero. Até para protocolar uma petição, é o sistema que gera o número do protocolo.

É este tipo de coisa que procuro levar ao conhecimento dos cidadãos que não conhecem de perto o sistema policial. Como as coisas são feitas, e muitas e muitas vezes, mal feitas. O projeto Delegacia Legal mesmo, consome milhões mensalmente dos cofres públicos, e o retorno em qualidade é pífio. O sistema é lento, instável e ineficaz. Um registro que demorávamos meia hora para fazer, pode chegar a mais de 1 hora, porque é tudo feito online. As obras foram “para inglês ver”, a maioria desses prédios que mais parecem lanchonetes, a despeito do alto custo, já estão caindo aos pedaços. Material de 5ª qualidade. Mas não vou tomar este espaço falando disso.

O indicativo de greve dos policiais civis do Rio para o período carnavalesco está caminhando, mas ainda não é certo. Se não acontecer será porque não houve adesão da categoria. A greve busca chamar a atenção do governo não só para os salários dos servidores, mas para as condições de trabalho, produtividade e influência de organizações criminosas nos quadros da Polícia Civil. Todas essas coisas que todos nós cidadãos sabemos que existem, vemos nos jornais, mas “ninguém faz nada”. Estamos tentando fazer, mas não temos força. E os policiais que não querem que nada mude são exatamente aqueles dos quais todos nós, pagadores de impostos, reclamamos quando a imprensa noticia policiais envolvidos com crimes.

Já se espera que a população critique ferozmente o movimento paredista. A imprensa certamente vai cair matando. Mas, infelizmente, já há muito tempo abandonamos a esperança de ver o “povo” preocupado com as condições de suas polícias (Civil e Militar), então já não contamos com a simpatia da sociedade. Tentamos antes de várias maneiras chamar a sociedade, através de passeatas ou por suas organizações da sociedade civil organizada, a participar de um processo de revitalização da segurança pública e pelo ao menos diminuição da corrupção policial que hoje é latente e alarmante. Mas gritamos sozinhos.

Sempre se fala em punir os maus policiais, mas os bons nunca são notados, nunca são valorizados. Assim eles, que são pessoas mais instruídas e dedicadas, acabam saindo da Polícia, passando para Juiz, Promotor ou vão advogar, já que a maioria é bacharel em Direito. E enquanto isso continuar acontecendo, serão os maus policiais os que se destacam, e ditam as regras. Quanto da Polícia é corrupta? Não faço idéia, acho que não é a maioria não. A maioria é sim omissa.

Ops, acho que foi falta de educação ter tomado tamanho espaço nos comentários de seu blog, então fico por aqui. Ah, o “banner ridículo” não foi feito para zombar de ninguém, na verdade é mais direcionado aos informantes do governo que monitoram o blog, um recado que diz “não agüentamos mais ser enrolados e oprimidos”(oprimidos? Sim, não imaginam o que é se posicionar contra O Sistema). Não é nada oficial. Desculpem-me contudo da falta de habilidades com o Paintbrush, realmente para artista gráfico eu sou um policial bem razoável... ;)

Abraços a todos, e aos que de fato acham que têm voz ativa, e que podem contribuir para melhoras, com idéias ou atitudes, o Caso de Polícia está de portas abertas, a intenção é debater e interagir. Pode concordar, discordar, e principalmente criticar, o importante é debater e descobrir uma maneira de restabelecer a qualidade de vida que todos sonhamos em ter de volta em nossa cidade, tão maltratada pelos últimos governos(?) populistas dos garotinhos, rosinhas e agora Sergio Cabral.

Eduardo.

Adao Braga disse...

1 - sobre o banner, parece-me que foi feito no word, e usaram o printscreen e coloram no Paint e exportaram. Possivelmente, usou algum programa openoffice para gerar o mesmo, não vou admirar se o autor admitir que usou o StarOffice 8. Porém isso é o de menos, pois, o banner, parece mesmo tripudiar da população.

2 - Minha opinião, é que, todos estes sindicatos, e movimentos ligados a certas classes, já deveriam estar utilizando meios variaveis para se obter seus direitos.

A policia civil, é regida e recebe assim suas atribuições na Constituição:

"§ 4º - às polícias civis, dirigidas por delegados de polícia de carreira, incumbem, ressalvada a competência da União, as funções de polícia judiciária e a apuração de infrações penais, exceto as militares".

Certamente, dentro de suas atribuições, existirá meios de pressionar os governantes a tomarem atitudes pela pressão.

Se os mortos para serem enterrados, precisarem da policia civil, é só não darem as guias, os documentos, até que o governo resolva o caso.

- Se o sistema é lento, porque não usar a própria estrutura para pressionar?

Há meios de se pressionar, mas, não se atualizam, e ficam sempre na mesmice.

Os médicos por exemplo, se quiserem, é só não assinar documentos de óbito, não assinar, certos documentos e todos serão obrigados a solucionar os problemas gerados... mas greve em tempo de carnaval?? é sacanagem... é mais fácil ficarem contra eles, do que contra o governo.

Juℓi Ribeiro disse...

Beth querida:

Receber uma visita e um comentário seu é sempre uma alegria para mim.
Obrigada pelo carinho.

Concordo com você e com as palavras do Adão.

Já pensou se os contribuintes resolvessem fazer greve e não pagar os impostos,
você sabe bem onde eles
iriam parar...
somando a isto todas
as represálias bucocráticas
e legais da questão?
Eu tenho uma vaga idéia...

O banner deles parece
até de bloco carnavalesco.
Eles devem estar pensando
em dar uma grande festa em?
Se a greve tem a intenção
de ajudar, eles deveriam
escolher outra data
para ela ocorrer.
Vamos ver o que irá acontecer.

Um abraço neste teu coração
solidário e generoso.
Beijo.

Ricardo Rayol disse...

Ora é a questão do oportunismo da coisa. Fazer greve em baixa temporada não dá iBOPE

Beth disse...

Fernanda e Rayol = você estão certos, a questão é o oportunismo da data, mas como bem disse o Adão, a coisa pode não dar certo e reverter a opinião pública contra esse direito de greve que é justo.

Adão = o que dizer? Você brilhantemente argumentou seu ponto de vista - como sempre faz.

Juli = conversando ontem com o Adão no msn eu disse que o que havia me chamado a atenção era justamente o banner utilizado. Sei é claro que não é um banner oficial, mas soou como um tom de deboche para uma contribuinte, cidadã que questiona e pensa e debate sem medo e sem receios. Não acho justa, se ocorrer, essa greve num período crítico como o carnaval.

EDUARDO = OBRIGADA POR TER VINDO AO BLOG E TANTO TER ACRESCENTADO TEU PONTO DE VISTA. OLHA, NÃO VOU CRIAR UM OUTRO POST DENTRO DO COMENTÁRIO, MAS O OBJETIVO DO MEU POST NÃO É IR CONTRA O DIREITO DE GREVE DOS POLICIAIS, APENAS E TÃO SOMENTE QUESTIONAR EM RELAÇÃO AO PERÍODO ESCOLHIDO POR ISSO QUE COLOQUEI DE FORMA LEVE E SARCASTICA. COMO TE DISSE: SOU FILHA DE MILITAR E FUI NOIVA DE UM POLICIAL QUE HOJE COMANDA UM BATALHÃO DO RJ E SEI O QUÃO É CRITICA A SITUAÇÃO DAQUELES QUE TEM COMO DEVER DEFENDER A POPULAÇÃO. APENAS ACHO EDUARDO QUE NESSE CASO...PROTEÇÃO NÃO DESPROTEGE. E NÓS, NO RJ, PRECISAMOS MUITO DE PROTEÇÃO. O QUE SERÁ SE NÃO CONFIARMOS NAQUELES QUE ARRISCAM SUAS VIDAS PARA NOS PROTEGER?
OBRIGADA POR TER VINDO AQUI, TER ESCLARECIDO E TER DADO TEU PONTO DE VISTA. ISSO É MUITO LEGAL. E PARABÉNS PELO TEU ESPAÇO.

bruno disse...

mas eles foram uns queridos, eles avisaram...

Mas e as condições deles? nos outros meses todos de trabalho?
quem protege eles depois do carnaval...
infelizmente, aqui, pode-se brincar com tudo, menos com o carnaval...
carnavalm nao! carnaval é coisa séria, infelizmente!

pior que é mesmo!

Mélica disse...

Oiiiie!!
Quer época melhor que essa pra fazer uma greve?!:D
Só o carnaval mesmo pra acordar o povo pra fazer alguma coisa!!
Muito bom o post!
Tenha um ótimo dia..
Beijos!!

Claudya disse...

Como é que é? Greve da polícia no carnaval? E aí, como é que vai ser isso? Coisa de doido! Amiga, tem meme sem obrigação prá vc. Bjs. e ótima semana.

MUTUMUTUM disse...

Ahhh... por isso que já estão adiantando o carnaval pra Janeiro. Agora entendi o lance...

A polícia é esperta. Vai parar de trabalhar na hora em que mais vai ter trabalho. Quem sabe, assim eles possam pular carnaval um pouco?

O jeito é beber e sambar em casa mesmo...

Beijins ^^

Kyhetha disse...

concordo com que o Ricardo Rayol disse:
Ora é a questão do oportunismo da coisa. Fazer greve em baixa temporada não dá iBOPE


eles querem achamar a atenção e quando nao tem algo q realmente nescessite da policia, nao adiantaria muito, já que eles em greve ou nao, pelo menos para mim, nao fazem diferença. nao mesmo.

Eduardo disse...

Beth, não levei nada a mal não, que isso. Só vim comentar para participar e debater, ou mesmo explicar sua dúvida (quanto ao sistema inútil).

E, entendo perfeitamente que a maioria das pessoas não gostam da Polícia. Alguns por ignorância mesmo, mas grande parte porque sempre que queremos fazer alguma coisa, e calha de ser proibido, será a Polícia que vai atrapalhar (ao invés de prender bandidos, como dizem), então nada mais normal.

Um dia teremos um pensamento mais positivo, longe da contaminação de medo da ditadura militar, e a sociedade verá a Polícia de outra forma, e não apenas como o repressor da sociedade e protetor dos interesses estatais. Talvez não nesta geração, nem na próxima, mas um dia evoluiremos.

De resto, tudo beleza. Eu não nasci policial, e já falei mal da Polícia também (eu sei que você não escreveu no post, digo nos comentários), aliás, é uma das coisas que mais faço até hoje, inclusive no blog. Só que o faço com conhecimento de causa, e com intuito construtivo, critico o que acho errado e o que acho que tenha que mudar.

Grande abraço a todos.

Carlos disse...

eduardo, nao entendo nada disso só sei que em carnaval onde o número de turistas aumenta e o número de crimes também não pode acontecer greve nenhuma. Não é o que chamam de serviços essenciais?

Nil Brito disse...

Todo ano, por conta das atividades aqui na Festa do Peão de Barretos, eu recebo convites para ir no Camarote da Brahma no Sambódromo. Eu nunca fui. Esse ano, que eu estava planejando ir, vc já me deu motivos pra ficar em casa. Vou ter que arrumar alguém pra quem passar os convites...

abs do nil

Bill disse...

Pega aí umas velhas marchinhas de Lamartine, Noel, Ary e outros bambas, Beth! E deixa rolar na sala! Num é mais mió de bão?
Bjo!

Kaká disse...

Beth, linda e querida, vou te falar uma coisa... Raramente vejo espaço de comentários mais interessante que o próprio post - quero dizer, o post é bom, coloca com seu estilo super próprio e que adoro ler, o ponto de vista que eu concordo. Os comentários então... Poxa! Esse superou tudo, viu???rssss!!! que venham sempre mais! Ah!!! Que coisa boa voltar aqui... Mas nao vou estragar o debate super interessante, importante e sério com bajulações, não, tá? Sucesso pra você!

Adao Braga disse...

Eduardo, eu pergunto:

Nos comentários, quem falou mal da policia???

Tine Araujo disse...

Eu não conheço o Rio de Janeiro... mas as vezes acho que não tem policial ai... então uma greve daria na mesma!!!

Creio que não só o Rio, mas todas as capitais brasileiras sofrem com esse tipo de descaso!!!

minds disse...

Ola !!!! primeiro um bom ano 2008!

E dp olha eles avisaram!!!!lol

bjs e boa semana

Luciana Cantanhede disse...

Beth, está de parabéns pelo post.
Só espero que essa greve não aconteça por que os cariocas já sofrem com a violência no dia-a-dia, sem greve, imagina como será uma greve e em um feriado nacional onde a quantidade de crimes é maior. E os turistas então! Qual imagem que o Brasil vai passar?

Eduardo disse...

Olá a todos.

Carlos, sim, é considerado serviço essencial, tal como a Saúde pública, que encontra-se no mesmo buraco negro do abandono. Em termos legais, as categorias que prestam este tipo de serviço, no período de greve, têm que manter 30% do efetivo funcionando, sob pena de responsabilidade para os servidores e multa para o sindicato. Contudo é um direito constitucional, que desde 1988 não foi regulamentado porque não é interesse da classe política e nem das classes mais abastadas financeiramente, uma Polícia que funcione. É superinteressante ver um sequestro solucionado com a vítima libertada em perfeitas condições físicas. Mas é muito incoveniente quando uma cobertura de um bairro nobre é invadida por policiais com um mandado expedido pela Justiça para revistar a casa e prender o filho do empresário que patrocinou a campanha do prefeito/governador/presidente.

Existem várias maneiras de se fazer a mesma coisa, várias são tentadas, até hoje sem sucesso. Enquanto isso a vida passa, o crime toma conta do Rio (lembra de 10 anos atrás? Era uma cidade violenta, mas hoje é algo surreal).

Adão: não lembro de ninguém falando mal da Polícia, amigo. Ao contrário, afirmei que eu sou um dos críticos da Polícia. Elogio o que vejo de bom (e tem sido pouca coisa), critico a gestão do governo e a atitude de "grupos" dentro da Polícia Civil especialmente. A PM não critico muito para não parecer disputa de vaidades, algo como "o roto falando do esfarrapado", mas as mazelas de ambas são muitas.

Um grande mal do brasileiro é viver o ano com a cabeça nos períodos festivos, como o Carnaval (ápice do turismo sexual, e movimentação de fortunas para lavagem de dinheiro oriundo da política, contravenção e tráfico de drogas - vide últimas notícias da mídia). Ao mesmo tempo, falar de política é uma coisa que todos acham chato, "não me envolvo com isso", "pra mim é tudo igual", "pago meus impostos e quero que tudo funcione"...

O hábito do debate de coisas sérias tem que coexistir com os papos descontraídos, lembranças de viagens e piadas. Se não levamos a gestão ao nosso redor a sério, não é quem desvia rios de dinheiro explicitamente que vai se preocupar. Afinal, estes, eles podem ter carros blilndados, segurança paga, planos de saúde, fortalezas contra roubos, etc.

Os policiais são pessoas comuns. Sofrem com a criminalidade até com mais incidência. Da mesma maneira suas famílias. Quando dizemos que o cidadão está desprotegido, lembremos que o policial é um cidadão também. E esqueçamos, nestes momentos, os policiais que não deveriam serem assim chamados, posto escolherem a vida do crime.

Abraços a todos, e desculpem, novamente, pelo texto longo...