quinta-feira, 3 de maio de 2007

Primeiro Pecado Capital


Ela se sentia estufada. Viu sua linda barriguinha crescer assustadoramente em questão de breves segundos. Mesmo mantendo uma alimentação quase beirando ao frugal e ao vegetarianismo, por vezes, ela se permite a excessos. Acabara de comer jabuticabas.

Bem, comer jabuticabas, ricas em vitamina C, não deixa de ser uma saudável alimentação frugal, no entanto, comer ferozmente três quilos de jabuticaba, é o máximo da gula.

O personal trainner gatíssimo, do qual ela foge como o diabo foge da cruz, disse que o segredo é fechar a boca e malhar e alongar - cruzes! Ela se penintenciava. Mas como fechar a boca diante de deliciosas e suculentas e enormes jabuticabas? Para o dia frutivo ser perfeito, só faltavam à sua mesa, deliciosas frutas-do-conde, daquelas que seu pai sempre a presenteia, em caixas fechadas, quando chegada a temporada da fruta.

Um futuro candidato à alguma coisa ligou, estava perto de sua casa, chamou-a para almoçar em uma churrascaria próxima. Churrascaria? Menos um ponto para ele. E ela começou a pensar na crueldade do destino. Afinal, ele tinha que ligar logo depois das jabuticabas? Tinha que ser carnivoro? Se ligasse antes, ela não teria nem olhado para as jabuticabas e teria convencido-o a comer saladinhas.

Onde estariam os sais?


3 comentários:

Carlos disse...

ri do inicio ao fim
você e suas eternas jabuticabas.

Pedro disse...

Se foi hilariante ler esse texto e me vi imaginando a cena de gula. Pô cara .. então não vejo a hora de você começar a falar da luxuria. jajajajaja

Marcelo disse...

hahaha já no começo eu dei boas risadas. Barriga estufada foi muito engraçado.
Nâo é Nossa Senhora mas é cheia de graça. Você ri de você mesma pois só quem te conhece sabe a tua tara por jabuticabas e por fruta-do-conde.
bjs