quarta-feira, 14 de março de 2007

Mundo Prosti ...



Juro que procuro ser uma mulher antenada no mundo contemporâneo, nunca me furtando de conhecer lugares, pessoas, culturas, tribos, de falar gírias, sotaques, principalmente depois de retornar de São Paulo, onde meu lado cultural sempre se fortalece. Posso estar na Feira de São Cristovão dançando forró, ou assistindo um concerto na Sala Cecília Meireles que sou uma pessoa igualmente feliz culturalmente, pois cultura para mim tem um sentido amplo de cores, sons, formas, cheiros. Mas tem coisas que são incompreensiveis e denotam uma certa pesquisa ao saber. Por isso que minha irriquieta mente, havia longos dias, está a me fazer a mesma pergunta. O que é ser um prostituto?

Pasmem, pois prostituto não é o substantivo masculino de prostituta. Com certeza ficaria deveras revoltada se durante minha pesquisa de campo, no mundo dos prostitutos, descobrisse tanta singulariedade com o mundo do substantantivo feminino. Ia ser frustrante ao meu tico e teco tanta obviedade e jamais estaria aqui expondo o resultado de minha pesquisa prostitual. Primeiramente consultei meu pai Aurélio e depois meu tio Houssais, sapiência maior não poderia haver.

Naquele famigerado orkut, por vezes, aparecem umas figurinhas querendo me adicionar no rol dos seus "amigos intimos virtuais". Quando vou olhar o perfil do candidato à amigo virtual, normalmente me aparecem uns garotões tipo barriga tanquinho, sarados, bonitinhos (nem sempre), com o nick Fulano de Tal Prostituto. Aqui só entra mulhê bonita - dizem. Valeu pelo mulher bonita CARA - penso. É é claro, sempre dou uma recusada básica, com medo do vírus "Prostituto, um jeito de ser".

Descobri que tem que possuir requisitos básicos para ser um autêntico prostituto, pode ser amigo de prostituto, também serve, é igualmente prostituto. Mas não pode chamar o prostituto de prostituto, tem que chamar o prostituto de CARA. Todo prostituto é O CARA ! E todo CARA tem que ter pegada.

O mundo dos prostitutos, segundo minhas pesquisas, se limita aos finais de semana com muita mulher, futebol, cachaça, forró e pagode. Oba ! Enfim, não ouvi a palavra funk. Eles me disseram que o funk se limita ao mundo dos tigrões e cachorrões, tipo - "mundo animal". Nada haver com os CARAS.

Também me relataram que a coragem é algo indispensável ao CARA que queira se candidatar a ser o CARA, pois ele tem que chamar a mulher, namorada, amante, ficante, a marmita, o lanchinho com a singela alcunha de "bruxa", pois tendo em vista o seu sumiço nos finais de semana, já se deduz que ela não estará com o Ricardão, ela estará AMELIAMENTE o aguardando com uma vassoura na mão. E todo o prostituto tem que ter a coragem de chamar a dita cuja de bruxa e ainda perguntar - "Vai varrer ou vai voar?"... É o teste definitivo para receber a carteira do Clube dos Prostitutos.

Meus amigos prostitutos ... Sim, tenho amigos prostitutos, e daí? Eles se revoltaram com a tese defendida pela outra parte - "Isso é coisa de prostitutos radicais". Me disseram também que prostituto de fé pega várias vezes a mesma mulhê, mas que eles não tem culpa se as mulhê gostam de um prosti. Tá ligado chapadão? De qualquer forma, prosti que se preze - não esqueçam - com uma mulhê, ou várias mulhê, prosti que é prosti, tem que ter pegada.


3 comentários:

Kaká disse...

hahahahaha! não sabia dessa. deve ser por causa de eu estar na casa do chapéu de tão longe esse lugar aqui! mas uma coisa vou te falar, amiga... prosti é um babaca! q negócio é esse de poligamia? q adianta ter pegada se não tem com quem dividir um pôr-do-sol ou um puta stress por causa do chefe ou do cliente? pq pegá tanta mulé, enquanto tem tanquinho, td bem... mas depois q nada mais subir... aí eu quero ver!!! agora... se vc encontra um cara bom de papo E de pegada... Aí já é outra estória, linda!!! esse vale a pena, não é mesmo? Seu jeito de escrever parece que te traz aqui pra nossa frente conversando tetè-a-tetè! :)

Beth disse...

Eu acho que o lance do tanquinho é para dizer às Amélias. Ai mulher ... tem roupa para lavar.
Me diverti muito fazendo essa pesquisa, afinal, algo de insano tinha que ocupar minha mente divagante.
Beijão Kakazinha !

Marcelo disse...

Nunca ouvi falar nesse negocio de prostituto. deve ser coisa de carioca esses dialetos. tomara que não chegue em SP. hahahahahahahahahaha
Já pensou ? Marceloooooooo você é um galinha. Não. Sou um prostituto. Credo boba. hahahahahahahaha
Só Casé para explicar com uma boa dose de Tas para reequilibrar.