quinta-feira, 30 de abril de 2009

AAAAAA tchim….

 

Meu irmão quando viajou para a Colombia me trouxe um imã de geladeira com a seguinte descrição: “Salve una vaca, coma pollo”. O problema é que essa vida de ser carnivoro anda cada vez mais complicada: Ora é a vaca que enlouquece. Depois o frango ficou constipado. Agora, o complemento da feijoada, resolveu fazer parte da festa dos doentinhos de plantão. Há salvação: Se o mar estiver para peixe, o lance é comer peixinho. Caso contrário, o jeito é comer matinho, raizes.

Mariposos e Bodega Cultural escreveram dois brilhantes textos sobre a gripe suina. Cada um com a personalidade própria e direcionamentos específicos de seus espaços – Adorei! Mas nisso tudo sabe o que acho interessante? A malária mata mais de 1,5 milhão de pessoas por ano e ninguém nunca chamou de epidemia, pandemia ou qualquer outra mia.

Chato isso né?

Seguindo a sugestão de Mariposo e aproveitando a baixa no turismo, as promoções que virão pós gripe, acho que vou passar minha lua-de-mel em Cáncun, fazer um turismo holistico por Teotihuacán. Sei lá…depois de ver minha amiga toda sorridente, em fotos,  na base de um vulcão ativo…estou mais animada para voltar a viver perigosamente.

Creio sinceramente que todos os órgãos competentes, governos e midia estão fazendo um bom trabalho informativo – apesar dos pesares – estão fazendo o seu papel. Se a informação é exarcebada, o povo reclama, entra em pânico. Se a informação é minima, o povo reclama, diz que é traição, descaso. Resumindo: O povo reclama de qualquer jeito. Daqui a pouco alguém é jogado da janela e o povo esquece da dengue, ops, do porco.

Mas me pergunto: Se fosse um problema local, se não tivesse atravessado fronteiras, se não fosse “um desconhecido virus” - teria o peso que tem hoje?

porco

 

Bom Feriado!

5 comentários:

Murdock disse...

O lance é que malária, dengue ou até a AIDS, por mais pessoas contaminadas ou mortas ao redor do mundo, não se alastram com a facilidade de uma gripe. Um espirro numa estação de trem contamina uma cidade inteira em dias. Pegar AIDS só pega quem quer (?) e a malária ou dengue tem surtos, na época em que o mosquito se plorifera mais.

Acho que isso tudo faz epidemias de gripe serem mais alarmantes.

malf disse...

amiga, nem o 'peixinhos ' se salvam mais o índice de contaminação por mercúrio do povo japonês que como alimento principal tem o peixe já está em níveis altos , ocasionado pelo alto consumo de peixe ...

Estou muito puto .. pois não consegui minha passagem para Cancum e olha que chic comprei varias mascaras coloridas uma para cada roupa .. tipo combinar ..kkkkk

E rir para não chorar .....
boa viajem

Mariposo-L

Natalia disse...

O pessoal de Porto Alegre está se vacinando contra a malária. O mosquitinho nojento chegou nos pampas. O Murdock escreveu uma coisa que concordo, tudo o que é transmitido pelo ar leva uma preocupação maior, mas isso não desmerece o numero de vitimas anuais da malária.
Daqui a pouco vão dizer que os judeus e mulçumanos estavam certos em não comer carne de porco.
bom feriado para você também. Vai viajar?

Marcelo disse...

Beth, kkkk o que eu acho aqui no Brasil é que a midia adora estar na midia mundial...ou seja quando acontece algo desse tipo noticia - se tanto até alguem se convencer que há um risco e então quando acontece de fato a midia respira aliviada "ah no Brasil existem tantos casos 'X'..." o Brasil gosta dessa modernidade da desgraça...imagina só se a jaquerie ou peste negra acontecesse agora em algum lugar?...tanto naquela época como agora os virus são proporcionais,em potencia e risco seu acho!

Maldita Futebol Clube disse...

gostei da idéia de visita a o méxico e Renato russo no fundo musical é quase tudo, tudo é ler um texto legal e ver que vc faz do blog uma passagem para sua paixão pelo turismo....lindo isso! alias vc édez! beijão, leandro