terça-feira, 31 de março de 2009

Apenas papel e plástico

mocinha

A questão não é julgar, é tentar entender esse apego desmedido, muitas vezes irracional, que temos com as coisas pequenas da vida. Objetos que podemos comprar novamente – caso estraguem ou se percam. Papéis que podemos rasgar e jogar fora – não possuem mais utilidade. Pessoas que podemos dispensar – quando não nos fazem bem. Mas o bichinho da possessividade, da neurose, da dependência emocional fica lá atazanando tua vida, te limitando, não deixando você conhecer um novo mundo que te rodeia e que pulsa, independente da tua existência, 24 horas por dia.

Que Deus me perdoe, mas o que é uma Biblia? Um pedaço de papel. O que é um crachá? Plástico. Não entendo colocar sua própria vida em risco por causa de papel e plástico. Por mais que doa o bolso, os anos dedicados em economias…nada pode ser mais importante do que sua vida.

Você não entendeu o que eu disse? Deixa prá lá…estava apenas pensando numa garota de 25 anos que perdeu a vida após pedir para o assaltante devolver sua Biblia e não levar seu crachá de estagiária da Caixa Econômica.

Sei que para a morte toda desculpa é válida. De verdade, sou realmente capaz de respirar fundo e entender a morte por causa de um acidente, de uma doença grave, de uma bala perdida, de uma guerra, de uma briga entre torcidas…mas jamais entenderei esse desapego com a vida que as próprias vitimas tem ao tentar desafiar seu algoz por causa de um simples objeto; um objeto de plástico, de papel, de metal.

7 comentários:

Adao Braga disse...

Há elementos discordantes entre nós, nalgumas palavras, nalgumas idéias apresentadas. É muito humano a situação.
Se era só papel e plástico, porque o sujeito preferiu matar a deixar o papel e o plástico para trás?
Eu entendi, e é compreensivo a sua indagação. Ela poderia comprar outra Bíblia. Ela poderia mediante apresentação de B.O solicitar novo crachá. Porém, como humanos, e tão diferentes uns dos outros, ela pode ter apego sentimental com o objeto: Bíblia, e ter, pensado em tão somente pegar o crachá para evitar problemas com a CEF...
Enfim, morreu. Agora se vê a situação completa.
O "dumal" matou por tão pouco, poderia não ser uma Bíblia, e se fosse um absorvente? A dubem, morreu por tão pouco.

Natalia disse...

Acho que entendo um pouco de seu questionamento. Nós devemos sempre esperar que o ladrão vá reagir da pior forma possivel. Eles não têm nada a perder. Temos que tentar manter a calma e deixar ele ir embora.
Meu ex-marido uma vez entrou na favela do jacarezinho, foi até a boca de fumo para pedir ajuda na recuperação do carro dele que havia sido roubado numa rua próxima. Nunca entendi esse comportamento dele. Porquê daquilo tudo se o carro tinha seguro? Ele nunca me respondeu.
Não quero ter esse tipo de apego.

beijos querida

Marcelo disse...

Bethissima, eu sou bastante apegado a coisas...digo livros, pedaços de papel com rabiscos...com as pessoas não nutro o mesmo comportamento porque não gosto que sintam apego por mim tambem...no caso desta garota devido a situação de stress em que ela se encontrava, provavelmente, o pedido não foi um apego, foi apenas do que ela achou importante naquela hora!

bjs

Maldita Futebol Clube disse...

Pois é beth, acho que nem foi uma questão de apegop material as coisas, mas desespero por perder seus pertences naquele momento e por ver sua vida ruir de maneira inóspita pois sem o crachá ela poderia perder o emprego. perdeu a vida, a sociedade o bom senso e oladrão o amor a Jesus! a biblia como um monte e de papéis tem seus significados e valoração das coisas muito além do fisico e do material,mas indo para o espiritual. tvz fosse o que lhe confortava! mas, a razão foi traída naquele ato "insano" de pedir de volta o que é seu a quem lhe roubou esse seim num ato insano sema spas! uma pena, virou estatistica.Que nós estamos a lamentar por aqui1

Mariposo-L disse...

Beth, você pegou pesado, tadinha da menina se leu isso, o que esperar de uma pessoa que anda por ai com uma bíblia debaixo do braço como se fosse um desodorante ... Esses "religiões" cegam seus seguidores .

Anna Bueno disse...

Beth,
O cara ia matar de qqer jeito, querida. Ela apenas pediu o crachá e a Bíblia, nem ao menos exigiu ou reclamou de estar sendo assaltada.
Ela só pediu a Bíblia e o crachá pq são coisas que não têm valor comercial, mas mesmo assim eles acharam "abuso". E no fim ainda recriminamos ela rsrs
Mundo horrível que vivemos.
Bjos!

Murdock disse...

Hoje a gente já sabe que a história nem foi exatamente assim, que ela tentou pegar a mochila de volta. De qualquer jeito, mais absurdo é matar por causa de um pedaço de papel e um de plástico...