quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Esqueci disso tudo aqui….

 

DSC07516Trabalhar com turismo é bem gostoso, mas é um trabalho bem cheio de responsabilidades operacionais e civis. Qualquer vacilo é uma dor de cabeça daquelas que nem a Neosa, Jesus ou Buda  resolvem.

Quando minha mãe diz: “Quero fazer excursão  para tal lugar”…putz, começa a minha dor de cabeça com a operacionalidade de um roteiro, reservas e etc e tal – fico noites e noites sem dormir até ter o feedback de todos os cantos e recantos dos contatos, agências, contratos fechados e devidamente assinados. Normalmente essas coisas acontecem com alguns meses de antecedência e é extremamente cercado e vigiado até a véspera da viagem.

Mas, o que mais me estressa não é guiar o grupo, acompanhá-los e contar detalhes históricos de determinado lugar - quando domino o mesmo – caso contrário, contrata-se guia local para fazer àquele city-tour básico. O que mais me estressa é fazer todo o operacional, que foi  preparado previamente, dar certo antes mesmo do desembarque acontecer. Com isso, prever todos os contratempos é coisa de bater palmas para maluco dançar. Deixar tudo pronto e cronometrado é uma dor de cabeça daquelas que só compensa mesmo ao ver o resultado final: as fotos, os videos, as despedidas, trocas de telefones, amigos ocultos, as lembranças que restaram, as novidades contadas.

Me desligo de tudo quando estou trabalhando com receptivo, quando estou no meio de confecção de um roteiro, ou de uma viagem em andamento. Mas fico observando os passageiros e  não entendo como eles, ou melhor, como alguns  podem viver em lan house´s, internet e etc e tal…estando em lugares lindos e cheios de grandes informações, novas culturas, cores e encantamento a  olhos vistos. Seria pressa em contar as novidades? Em registar por letras os fatos vistos em fotos? Espalhar para o mundo: “Ei…estou em Porto Seguro, estou no RJ diante do Cristo Redentor, estou em Bonito…” Mas para que pressa diante do descanso tão procurado? Enfim…mesmo trabalhando eu me divirto como se cliente fosse e respiro cada canto da cidade onde estou.

Me desliguei de tudo e todos. Mas…como nada é perfeito e há mais trabalho para ser agendado e operacionalizado, faculdade começando, então tive que retornar…mas é àquele retorno com vontade de ficar mais uma cadinho…após esquecer os dias, as horas, os minutos e segundos diante de dias de puro sol, mar, descontração, relaxamento…e uma boa preguiça baiana com uma pitada de caldinho de sururu, caranguejo e muito camarão. E ainda sem entender o que prende as pessoas ao mundo virtual diante de tão lindo mundo real que brilha como o sol diante dos olhos dos navegantes…talvez seja o fato de que tudo é perene, passageiro, com data de retorno.

 

5 comentários:

Adao Braga disse...

Meu amor, isto é ser humano! Humano é assim! Somos feitos de rotinas, de repetições e ocios. As pessoas saem de seus lares, e aonde vão querem reproduzir seu habitat, é normal e comum.

Graças a estas características, é que as ciências dos investigadores prosperam. É sabendo como os humanos agem, e comportam, que é possível deduzir quem está mentindo e ocultando fatos. Isto é comum a todos humanos.

E por fim, relembrar o que já disse antes:

Observando você, e como você vive, desperta em nós outros o desejo de estar ao seu lado, e aproveitar as sobras que podem cair de sua mesa.

Parece-nos que sua vida é muito melhro do que a nossa.

Murdock disse...

Por essas que acabo ficando com preguiça de viajar... E minhas viagens muitas vezes dão errado, alguma zebra.

luzdeluma disse...

Beth, não sabia que trabalha com turismo. O modo de viver mudou com a internet e tudo é mais rápido. Queira ou não, algumas pessoas não querem esperar para mostrar aos amigos e familiares as belezas que captaram através das lentes. Elas enxergaram as belezas ao redor sim, mesmo que pareça que as lentes sejam frias para captar o calor ao redor. Mas também não entendo alguém deixar de fazer um passeio para ir à uma lan house. Preocupações com o trabalho (?) Bem-vinda ao mundo virtual!! Beijus

Pedro disse...

"talvez seja o fato de que tudo é perene, passageiro, com data de retorno."
Talvez seja mesmo tudo isso junto somado aos vicios de uma comodidade virtual. Quando tiro meus dias de sossego, esqueço que existe um mundo ao meu redor. Qualquer emergência saberão onde me encontrar. Esse é o meu ritual.
Vi as fotos no seu orkut, vocês estiveram ótimos.E ontem fiquei horas e horas conversando com o seu benhê no telefone. Onde você estava? Depois reclama que sumi.
Um beijão gatosa

Mariposo-L disse...

Xiiiiiiiii, não quero ser mais igual a você na próxima encarnação .....kkkkkk