segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Au Au e Miau

 

Tudo tem começo e meio. O fim só existe para quem não percebe o recomeço

(Luiz Gasparetto)

Domingo retrasado, assistindo ao Fantástico, fiquei atenta à matéria que falava sobre a arte da paquera para àqueles que estão recomeçando uma nova vida após um divórcio, ou após algum tempo  de solidão voluntária. Os personagens envolvidos na matéria tinham mais de trinta e cinco anos. E como foi fácil perceber que o homem, após certa idade, perde o tom. De repente ele tenta voltar àquele adolescente que não existe mais dentro dele. Melhor dizendo: O adolescente de agora que o incorpora, nunca existiu;. pois na sua época de adolescente ele jamais agiria da forma que agiu naquele breve encontro e teste promovido por uma empresa de televisão e com um personal paquerator tabajara falando no seu ouvido sobre o que fazer e o que não fazer durante a arte da paquera.

O cara não está mais afim de ficar sozinho, está super interessado em ficar com um alguém qualquer, ou com alguém bem especial, ele quer casar novamente, ter filhos, uma familia. Mas ele não está sabendo como fazer e o que fazer para a conquista ter seu objetivo final.  Mas quem é seu objetivo final? A tchutuca do baile funk? A moça que trabalha ao lado da sua mesa? A vizinha que mora sozinha? A mina da academia? Ou a amiga do amigo do amigo do amigo que você conheceu no casamento da sua prima?

Tem que saber primeiro para quem você irá se direcionar e com ela esgotar todos os seus argumentos.

dom_juan

Quando digo as minhas amigas que casei e elas perguntam como foi ou como consegui segurar o bofe, a única coisa que respondo é que não fui eu quem conseguiu e sim ele que foi direto e reto com àquela cara de tarado. “Vem cá gostosa”, foi a palavra-chave e ainda continua sendo, mas é claro que a gostosa aqui não cederia se não houvesse quimica corporal, cheiro, suor, feeling. O “vem cá gostosa” tem que ser usado quando há o feedback corporal. E o resto tem que ser usado com o dia-a-dia: ligações constantes, um presentinho daqui, um elogio dali, uma briga para apimentar, uma papo mais cabeça, uma intelectualidade reciproca… mas nunca esquecendo àquela palavrinha-chave que deve ser sempre usada nos momentos adequados.

A mulher por sua vez, àquela que foi o objeto da conquista, que se deixou conquistar e conseguiu segurar o seu bofe, também não deve dar uma de puritana, boa-moça ou se sentir ofendida quando ele confessar que a primeira coisa que prestou atenção em você foi a sua bunda ou os seus melões.  Pelo contrário, ela deve se sentir a própria femme fatale, pois sempre será um bom motivo para ele jamais esquecer o primeiro dia em que uma rebolada mais insinuante ou um decote mais ousado chamou a atenção dele. E as constantes visitas as lojas de lingerie farão você se sentir sempre o objeto daquela conquista.

Portanto, se não houver quimica, àquele papo de “vem cá gostosa”, “você é a nora que mamãe pediu a Deus”, “conheci a mãe dos meus filhos” e etc e tal….jamais terá sentido e você como um bom animal que é, continuará pulando de galho em galho. Tem que ter quimica para que as tentativas começem, as palavras obscenas sejam proferidas e o romance aconteça mesmo que ela acorde com um bafo-de-onça do seu lado e um cabelo de bruxa Meméia.  Sem a famigerada quimica, você apenas será conhecido como um velho-babão ou um tiozinho no cio.

Além do mais, ficar utilizando uma personal paquerator tabajara para te dizer o que fazer quando você sabe o que fazer, é o máximo da pieguice. Você pode não ser hollywood, mas ser original é o segredo do sucesso – em qualquer idade, em qualquer tempo. E ela vai até achar graça quando você dizer: “vem cá gostosa, vem pro seu tigrão”. Corre até o risco dela miar para você.

- Au-Au

- Miau…

 

Recadinhos: Por aqui a vida anda corrida. Muita viagem a trabalho e muito cansaço latente. Portanto, não estranhem o espaçamento nas postagens.

9 comentários:

Mary disse...

Garota adorei o teu blog. Adorei.
Resumindo o texto: o homem que é homem tem que ter pegada e saber atender a mulher no seu romantismo. Mesmo assim, tem que ter pegada.
beijos

Pedro disse...

Sempre fui direto nas minhas paqueras e conquistas. Não adianta vestir a máscara de bom moço que logo ela cai; bom moço eu nunca fui e nunca serei. Depois da conquista inicial então cuidarei do restante no dia-a-dia.
Coisa sem pé nem cabeça essa coisa de personal paquerator que criaram. Aplicam nos outros o que não conseguem para si mesmos. Acho bizarro essa gente personal.
Beijos gatona gostosana

MamaNunes disse...

ééééééé isso mesmo Beth!!! Direto, com romance!
Alguem disse: "amor é artesanato" dá um certo trabalho e tem que ter utilidade rssss
beijos

disse...

Gostei.
Au au! Miau! huahua
Beijas!!!

luzdeluma disse...

Beth, não existe fórmula não é mesmo? A 'pegada' tanto do homem quanto da mulher, para acertar o tom, depende da reciprocidade e isto somente a química decide. Conforme caminha o relacionamento e o interesse do casal, o sexo tanto pode aproximar quanto distanciar. Boa semana! Beijus

Marcelo disse...

Tá ai um negócio complicado que não tá em livros nada...tem uma tal de quimica que surge e agente fica ceguinho, ceguinho e ai já é! - por mais que se treine, que se tente criar um briefing e até um video para paquerar ná hora ...o que funciona mesmo é o que vem de dentro...segundo o Dr Elcymar Coutinho o homem e a mulher liberam um determinado odor que faz com que as pessoas se atraiam... um certo perfume natural que excita, dá algo a mais...muitas vezes não é a beleza é o ...."algo mais" que faz a coisa rolar...dizem que as mulheres e os homens escolhem seus parceiros como animais...principalmente as mulheres escolhem homens como cavalos olham desde o movimento, como andamos, como seguramos as coisas, como dançamos - de longe elas sacam o homem que será o pai dos filhos...bem animalesco + é isso! somos animais quando nos excitamos é vero!

DM disse...

Bethísssima ... É preciso ter estilo até para paquerar... Personal trainer paquerator tabajara?

MORRO E AINDA NÃO VEJO TUDO!!!
Simplesmente matando saudades , sorry pela ausência ...

Ela disse...

Viver com quem a gente gosta é tudo de bom!

Miar ou latir a escolha é opcional.

Grande abraço

adaobraga disse...

Querida, me eximo de opinar. Você sabe minha opinião sobre esta sua situação. Mas, sobre aqueles que passaram no programas, um verdadeiro testemunho não da incapacidade dos divorciados mas de uma grande multidão, que não sabem mais aproximar, agir, carinhar, prosseguir, conquistar, seduzir.

Um cheiro carinhoso. Já estamos em casa!