quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Eleições Limpas

 

Aqui em casa a maioria já tem definida sua escolha para candidato a prefeito. No entanto, para candidatos a vereadores, optamos pelas consultas e pesquisas sobre a vida do candidato, seu histórico no legislativo, seus trabalhos sociais e mais ainda, sua prestação de contas junto à justiça.

O portal da Associação dos Magistrados do Brasil, disponibiliza um link que te leva a conhecer os processos judiciais que os candidatos estão sofrendo, mesmo que não esteja transitado em julgado. E ainda, disponibiliza ao candidato um espaço para que ele faça seu comentário - permitindo a "ampla defesa". Aqui no Municipio do Rio de Janeiro, nenhum candidato à Prefeitura está sofrendo processo judicial.

Apesar de decisão contrária do STF que recentemente liberou candidatos com "ficha suja" poderem concorrer aos pleitos eleitorais (desde que não esteja transitado em julgado a decisão), vejo como  certa  essa postura da AMB  em passar esse conhecimento à população, pois temos que cobrar também de nossos representantes uma conduta ética, moral, social e econômica assim como também somos cobrados em postura como cidadãos, consumidores. Por exemplo, tente concorrer a uma vaga numa grande empresa multinacional se você tiver seu nome sujo no SPC. No máximo vai ter que correr contra o tempo,  antes da contratação,  para limpar seu nome e não perder àquela vaga. O Banco do Brasil, por exemplo, estipula que o candidato não pode ter o nome inscrito nos cadastros do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), Serasa ou Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos (CCF). O concurso da ABIN - Agencia Brasileira de Informações, já deixou claro em seu edital a pesquisa da vida social do candidato durante todo o processo seletivo.  Apesar de alguns recrutadores negarem tal prática, é corrente essa postura "velada" em algumas seleções, haja vista, muitas empresas disporem da chamada "busca patrimonial e social". E particularmente, não vejo como errônea essa postura, apesar de ser possivel impetrar liminares e o judiciário decidir. Mas creio que o mesmo deva ser cobrado de nossos representantes no legislativo, pois são eles que elaboram as leis que regem esse pais.

Segundo matéria da Folha On Line, 12% dos candidados a vereadores nas capitais respondem ações na Justiça, tiveram suas contas eleitorais rejeitadas ou sofreram punições em Tribunais de Conta.

A AMB (Associação dos Magistrados do Brasil), em outro portal chamado Eleições Limpas, orienta o eleitor a procurar outras fontes de informações sobre seus candidatos, pois ainda não disponibiliza as informações referente aos candidatos a vereadores, de municipios do interior e de algumas capitais.

eleicoes-logo

Um comentário:

adao braga disse...

Aqui em casa, o voto é decidido por quem está envolvido na politica, assim posto, no dia do voto, ela faz a lista em quem devo votar.

- Como temos dois bons candidatos a vereadores, diz ela, vamos dividir os votos para os dois.