segunda-feira, 23 de junho de 2008

Para melhor entender...

Depois de descobrir que a natureza jurídica de um túmulo é bem imóvel, levantei os dedinhos e perguntei ao professor: "Teacher. Sendo bem imóvel, então ele pode ser executado? Entrar no inventário? Ser parte de herança? Sofrer posse mansa e pacifica? Os de cujus podem se valer do usucapião?

Se o teacher está de sacanagem para dar uma relaxada na tensão final de provas, então nós também estamos. E não é que a turba de futuros causídicos entraram na minha e discutiram a possibilidade de indicar o túmulo no processo executório?

Estudante de Direito é assim, tudo gaiato. Deixarei aqui algumas gracinhas minhas e dos coleguinhas.net que, igualmente, são contra a equidistância do povo e para o povo que é proporcionada pelo vocabulário Jurídico. Destarte (que não é irmão de Descartes), para que um doutor pergaminho (apelido dado aos que usam determinada técnica de cola para sair da escola) não te enrole numa futura consulta, segue abaixo algumas orientações básicas nos termos usuais de uma lide, ou melhor dizendo, daquela parada que você entra para defender o teu. Tá ligado?

Essa brincadeira abaixo me fez lembrar um texto que li do professor Aurélio Wander Bastos, renomado consultor jurídico e autor de obras ligadas a sociologia jurídica que, na época de estudante/ estagiário,  lá nos idos dos anos 60, confundiu Espólio com Senhor Espólio, pessoa física. E já exausto de tanto Senhor Espólio que encontrava na frente, comentou seu desânimo com  um funcionário de cartório bonzinho (coisa rara) que  penalizado do estudante Aurélio, ajudou-o descobrir o mistério e origem de tão "comum" nome.

Me vou...em agosto estou de volta por aqui. Última semana de provas e logo depois: Férias...Férias...Férias!!

Vocabulário Juridico as Avessas

Espólio - "vamos ver o que ele deixou depois que foi dessa para melhor"

Litigância de má-fé - “o mal do urubu é pensar que o boi tá morto”.

Estelionato - “malandro é malandro, e mané é mané”.

Vicio de produto  - "não comprou Tigre, se deu mal. A doutrina majoritária pode entender que: tem alguma coisa estranha com o bagulho"

Ação Redibitória - "quero o que é meu de volta"

Responsabilidade Civil - "pensou que fosse escapar dessa?"

Jurisprudência - "Se rola lá, rola cá...vamos seguir os brother"

Abertura de inventário - “e vai rolar a festa, vai rolar”.

Reconvenção - “cê é louco, mermão. A culpa é sua”.

Revelia, preclusão, perempção, prescrição e decadência - “camarão que dorme a onda leva”.

Recurso adesivo - “eu vou no vácuo”.

Crime tentado - “ah, nem deu. Deixa pra próxima

Jus Postulandi no Direito do Trabalho - "eu me garanto sozinho doutor juiz. (Uma corrente minoritária entende que "tá pensando que vou dar 30% a advogado?")

Prazos - "acelera Rubinho..."

Nomeação à autoria - “vou cagoetar todo mundo”.

Chamamento ao processo - “o maluco ali também deve”.

Assistência - “então brother, é nóis”.

Princípio da boa-fé, ou lealdade processual - “se vier na crocodilagem, vai levá pipoco”.

Princípio da ampla defesa - “aí mano, aqui tem pra trocá”.

Princípio da iniciativa das partes - “faz a sua que eu faço a minha”.

Princípio da inércia jurisdicional - “na boa brother, num posso fazer nada”.

Princípio da isonomia - “aqui é todo mundo na humildade”.

Princípio da insignificância - “grande bosta”.

Princípio da supremacia do interesse público sobre o privado - “nóis é nóis, e o resto é bosta”.

Trânsito em julgado das decisões - “vai chorar na cama que é lugar quente”.

Princípio da legalidade - “não adianta caçar assunto”.

Sucumbência - “a casa caiu !!!”.

Legítima defesa - “folgou, levou”.

Legitima defesa de terceiro - “folgou com o mano leva na oreia”.

Legítima defesa putativa - “foi mal”.

Oposição - “sai quicando que o barato é meu”.

Direito de apelar em liberdade - “fui!” (parte da doutrina entende como “só se for agora”).

Princípio da pás de nullité sans grief - “cê faz a parada errada e qué paga de gatinho?”.

Ilegitimidade de parte - “dá linha na pipa, mano”.

Representação na ação penal pública condicionada - “adianta o lado aí”.

Princípio contraditório - “agora é eu”.

Princípio da ação - “vamo, vamo,vamo”.

Honorários advocatícios - “cada um com os seus problemas”.

Assistência judiciária - “o pouco com Deus é muito, o muito sem Deus é nada”.

Co-autoria, e litisconsórcio passivo - “o que importa é estar junto” ou “é nóis na fita, mano” ou passarinho que voa junto com morcego acorda de ponta-cabeça”.

Reclamante - "quero o que é meu e um cadinho mais que o contador der"

Reclamado - "posso parcelar?" (uma corrente minoritária segue o raciocínio, "a escravidão acabou e ninguém me avisou?")

Autotutela - “vô da uma só, só pra ficar esperto”.

Ônus da prova - “palavra de homem num faz curva”.

Inversão do ônus da prova - “é tudo contigo mesmo, mermão…” ou “vai que é tua Taffarel”.

Comoriência - “um pipoco pra dois” ou “dois coelhos com uma paulada só”.

Jurisdição contenciosa - “é muita treta”, ou ainda “o barato é louco”.

Falta de ética - “essas coisas enfraquecem a amizade”.

Sucessão - “o que é seu ta guardado”.

Dignidade da pessoa humana - “nóis é pobre mais é limpinho”.

Preparo - “então…, deixa uma merrequinha aí”.

Deserção - “deixa quieto”.

Sigilo profissional - “na miúda, só entre a gente”.

Crime continuado - "Para apagar o mané fiz isso, mais isso, mais aquilo"

Falso testemunho - “fala sério…”.

Inimputabilidade - “o cara é treze”.

Obediência hierárquica - “eu não tenho nada a ver, o tiozinho que mandou fazer essa parada aqui, ó”.

Contradita - “o cara é café com leite”.

Reincidência - “porra meu, de novo?”.

Revisão criminal - “num falei que não fui eu?”.

Investigação de paternidade - “toma que o filho é teu”.

Execução de alimentos - “quem não chora não mama”.

Processo de conhecimento - “vamo ver essa parada certinho”.

Nunciação de obra nova - “cê tá zuando meu barraco aqui, doido”.

Res nullius - “achado não é roubado”.

De cujus - “presunto”.

Execução do conjuge- "casou, então tomou. Quem mandou escolher errado?"

Posse mansa e pacífica - “na bola de meia”.

Esbulho - “cheguei chegando e tá tomado”.

Despejo coercitivo - “sai fincado”.

Condução coercitiva - “não tem pinote”.

Usucapião - “ta dominado, ta tudo dominado”.

Embriaguez voluntária - “não agüenta, bebe leite”.

Interdito proibitório - “nem vem que não tem”.

Morosidade da justiça - “o barato é louco, mas o processo é lento”.

Despachar com o Juiz - “troca idéia com o maluco lá, e vê se ele adianta o nosso lado”.

Substabelecimento - “Aí, passa a bronca pra outro maluco”.

Rebus sic stantibus - “O barato viro”.

Partícipe - "Eu fiz, mas ele disse que eu poderia fazer"

Princípio da oralidade - “dá a letra aí maluco”.

Princípio do duplo grau de jurisdição - “vai pensando que tá bão…”.

Princípio da fungibilidade - “só tem tu, vai tu mesmo” (parte da doutrina e da jurisprudência entende como sendo “quem não tem cão caça com gato”).

Princípio da moralidade - “aí, mano, sem patifaria”.

Princípio da indisponibilidade - “ah! Agora já era”.

Princípio da motivação das decisões judiciais - “vai falando que eu to ouvindo” (doutrina majoritária, "vou dizer quais os motivos que me levaram a te ferrar").

19 comentários:

Lerdo em Surtar disse...

Estou rendido à fumaça do "bom saber jurídico", pois, apesar de ter uma rotina de trabalho forense (e conviver com estagiários de Direito fazendo parte da equipe de apoio), ainda não conhecia essas máximas da interpretação que correm à boca miúda...!
.......
Férias?
Ao que consta da experiência, o estudante carrega junto consigo a mania incontrolável de enxergar ao redor de si uma causa de pedir ou um nexo causal... até mesmo quando acha que está descansando.
.......
É nesse ponto que verá que precisa de um "mago" para chamar de seu... mesmo que seja o Ykhro!
.......
Junte-se a nós!

Pedro disse...

Algumas palavras já conhecia. Esse vocabulário juridico é muito chato mesmo. Não sei o que é pior, vocabulário de advogado ou letra de médico.
Boas férias e bom descanso acadêmico.
Saudades daqui para ti.

Cármen Neves disse...

Beth querida! Enviei-te um e-mail e estou aguardando contato. Beijos Leio o texto depois do almoço, tá?!( sorriso).

Ela disse...

Nossa, um bombardeio de definições. Hilárias, algumas.
Eu imaginei você fazendo tudo, menos direito. rs

Tenha excelentes férias !
abraço

Beth disse...

Lerdo em Surtar = vc está certo, dificil sossegar...mas ando muito acelerada e essas férias acadêmicas vieram a calhar.

Pedro = Os dois são muito chato. Mas amodoro direito...e não vejo a hora de terminar e começar logo minha pós, mestrado...concursos...!!!

Carmén = Já conversamos neh?? Bjs amada...

Ela = Jura?? E olha...dizem que sou uma excelente estudante e estagiária...hehehehehe...mas as férias eram esperadas, foi punk retornar depois de um periodo de ausência e turbulento. Falta apenas uma prova...e logo depois vou dar umas viajadas....Valeu !!!!


bjs a todos !!!!!

Jesus Apócrifo disse...

oi! tudo bem ai? Aqui não!

DM disse...

Cadê a "fumaça do bom direito" ????

Juro! Vou imprimir ....

Beijos

Beth disse...

Jesus = tô sabendo...tô sabendo!!! Mas...e ai??? Tá dificil...tá dificil...

DM = Fummus boni iuris? Afff...como posso ter esquecido!!! Periculum in mora também heim?? menina...jura que vai imprimir essa insanidade? E eu deixei um monte de fora heim??? Hehehehehehe...mas morri de rir com minha criatividade e com a criatividade dos coleguinhas.net. Ainda bem que o mestre cooperou e não pago mico sozinha...hehehehehehe.

Beijos queridos....
Aff...não vejo a hora de entrar de férias....e cuidar de quem precisa ser cuidados..neh Jesus???????

mundo a fora disse...

demorei + parei novamente...vc vive afiadissima né menina... hauhaua

então vim aki falar de sexo O.O'
hauhauahua

+ uma campanha pra variar...e gostaria de sua participação...

te aguardo tá
bjoka

Beth disse...

Sexo....uauuuuuuuuuuu
Pode ser depois que eu voltar das minhas férias ???????? hehehehehe
Vou lá te ver e ver qualé maninha.

beijos

Tatá disse...

Caraca...e eu ainda pensando em fazer Direito.
Juro Beth, tô fora! Fico eu cá com os meus números, relatórios e balancetes!!!

Saudades de vir aqui.

Beijão

Ultra Violet disse...

Gente, quanto verbete! Quase surtei aqui...Meus neurônios loiros e sonolentos não processaram tanta informação!

Beijos.

Menina do Rio disse...

Só tu, Beth! Essas pérolas!
Pensando bem, túmulo é mesmo "bem imóvel", junto com tudo o que está dentro, rs...Daqui a pouco os 'de cujus" vão reclamar uso capião.

Um beijo e boas fériasssssss

Balzaquianas disse...

Oie!! tem um tempão que não passamos por aqui!! Praticamente estivemos fora de órbita! Adorei esse post!!
Abraços,
Balzaquianas

Adao Braga disse...

kkkkkkk
É verdade que advogado é um especialista, não em leis, mas, em brechas da lei?

MOISÉS GONÇALVES disse...

Acho que, agora sim, finalmente entendi alguns desses jurisdiquismos. Putz! Ri pacas com isso! E me inspirei pra criar mais alguns:

Data Venia - "aí, mano! Dá licença que tu disse merda"
Princípio da Publicidade - "aqui, não pode esconder as tretas, não"
Pacta Sunt Servanda - "prometeu, tem que rolar"

Sei lá! Dá pra criar um mega-post só com essas frescuras, hehehe.

Lembra-se do MUTUMUTUM, do "Coisas e Tralhas"??? Pois é... sou eu :)

Voltei a blogar, de casa nova agora:
cartumcombobagem.blogspot.com

Se quiser dar uma passadinha lá, ficaria mto feliz ^^

Beijão

Olhos Virtuais disse...

Olá...
Obrigado por passar lá no Olhos Virtuais...

hahahah mto boa essa... eu tenho até medo desses termos jurídicos.
boa semana

bjs

Marcelo disse...

kakakakakakaka adorei:Substabelecimento - “Aí, passa a bronca pra outro maluco”. e esta é show 'Recurso adesivo - “eu vou no vácuo” eu a uso muito no carnaval...uso o recurso adesivo no batalhão da policia e num instante já tô atrás de outro trio eletrico...rs rs rs!

bjs e have a nice vacation!

MOISÉS GONÇALVES disse...

Beth, minha amiga! Tem um presentinho pra todos os que curtem ou curtiam as aventuras do meu personagem MUTUM lá na minha casa nova (cartumcombobagem.blogspot.com): uma coletânea de tirinhas do MUTUM pra baixar, totalmente de grátis e sem tretas :)

Se quiser, dá uma passadinha lá!

Beijão