sexta-feira, 25 de abril de 2008

Parem de jogar arroz nos noivos...

Além do caso Isabella Nardoni (muda o disco - agora querem fechar o espaço aéreo), do padre que sumiu (O CB levou), do terremoto (ele não existiu), da dengue (não há epidemia) e das ondas tsunamicas (isso não aconteceu), há um assunto que está rolando a dias na mídia, mas o povão não tá nem ai. É àquele papo chato de política, de economia e que os transeuntes não se importam muito; só reclamam quando vão fazer suas comprinhas semanais ou mensais, mas não não dão a devida importância - a crise mundial de alimentos.

Levantem os pratos, batam panelas...o povo também quer comida e não só diversão e arte.

Pois é...E qual o alimento  que não pode faltar na mesa dos pobres e dos bacanas? Ele é aquele alimento que pode servir de complemento, ou de prato principal e que sempre está nos pratos feitos das esquinas, ou nos japoneses da vida.

Pois então...o arroz. Àquela coisa sem graça e pequetitinha pode faltar na tua mesa e onerar muito o teu bolso, apesar de estarmos na entresafra e de garantirem o abastecimento até 2009.  A crise de alimentos no mundo, a suspensão da exportação do produto pelos maiores produtores do mundo, pode afetar a tua mesa.  Como assim? Crise? Pois é...os bacanas do primeiro mundo começaram a se preocupar além dos territórios africanos. Mas, isso é fato desde que o mundo é mundo; a gente só se preocupa com o próximo quando as pragas do Egito também fazem toc toc  na nossa porta.

Os nossos agricultores, de olho no consumo mundial, nessa lacuna dos exportadores tradicionais, estão dando preferência para a exportação do nosso arroz do que propriamente ao consumo interno. Afinal, é muito mais jogo ganhar em dolar, euro do que em meros reais do mercado interno. O Governo teve que intervir na suspensão da exportação dos estoques públicos, e fez certissimo. Comer tão somente feijão com farinha não dá.

O Ministro da Agricultura disse que não há risco de desabastecimento no país, mas pediu para os produtores manterem o mercado abastecido. Deu para entender?

Meu professor de Direito Tributário, comentou sobre o tema na aula de ontem, dando enfoque para àqueles papos chatos de aliquotas disso e daquilo.

- Por favor, não posso ficar sem minha feijoada semanal. Disse teacher.

- Ah...teacher e nem eu sem meu arroz integral. Respondi.

- Vai um calanguinho frito ai? Perguntou um outro aluno.

Maio está quase na porta. É o mês da noivas, época de festas e de jogar arroz fora. Mas, por favor convidados arroz-de-festa, não joguem arroz fora...os noivos podem precisar dele. De punhado em punhado, se faz um kilo e dá-se de presente aos noivos para ajudar na cesta básica deles.

Tatazinha...quando é mesmo o seu casamento? Já sabe o que vou lhe dar de presente, não é mesmo?

•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•¸.•*´¨`*•¸.•

Mais uma vez...bom final de semana !!!!

"A fome dos outros condena a civilização dos que não têm fome."
( Dom Hélder Câmara)

 

8 comentários:

Luma disse...

Nova revolução verde à vista. Há quem agora defenda os transgênicos. Na verdade, se continuar essa distribuição desigual de alimentos pelo mundo, a fome se espalhará pelo mundo, de Porto Príncipe a Cabul, de Cairo a Manila, o flagelo da fome será descomunal com o aumento dos preços dos alimentos básicos e sabemos que esse tipo de situação, às vezes termina em guerra. Acha que estou sendo fatalista? Não sei.
Bom fim de semana! Beijus

adaobraga disse...

Essa foi uma pedra cantada. Já esperava por isto.

Ah! você, e sempre você. Hoje foi que também soube que aquele tal de Caio F. Abreu, é o mesmo de sua lista... já não estou mais me aguentando em ver certas citações nalguns blogs por ai.

Quando vejo que é citação, e logo olho para a última linha, se for, nem termino!

um cheiro!

Beth disse...

Adão = vc ainda duvida da falta de criatividade das pessoas em só citar, citar, citar, citar??? Principalmente quando não se tem o dominio da matéria e dissernimento?

Pedra cantada e que vai além de uma orquestra sinfonica de trombetas.

Luma = vc está certa. Certissima. E não é negativismo, ou catastrofico pensar dessa forma. Veja só o relatório da ONU sobre o assunto.
http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI2173552-EI8278,00.html

beijos

Ultra Violet disse...

"a gente só se preocupa com o próximo quando as pragas do Egito também fazem toc toc na nossa porta."

Adorei o seu blog, tanto pelo visual e o nome (o subtítulo tem muito haver com a proposta do meu) como pelo jeito escrachado e crítico de observar a realidade.

Bjs.

Donizete disse...

Esta foi ótima. A criatividade mesmo em tempos de crises. porque o arroz e o feijão, os homens so comem caviar, picanha etc...

Donizete disse...

Visite meu blog fiz uma matéria relativa a crise dos alimentios...
Anjo eDuasCaras

Fernanda disse...

É mesmo uma loucura, Beth! Uma coisa que me dá o nó na cabeça é saber do descaso da agricultura em Portugal, pelos sucessivos governos, quando temos terra e clima tão apropriados para cultivarmos, permitindo-nos a auto-suficiencia e ainda exportar! Para além de que resolveria ainda o problema do desemprego.
Estamos a ficar dependentes de especuladores e isso assusta-me imenso.
Bjo

Fernanda disse...

É mesmo uma loucura, Beth! Uma coisa que me dá o nó na cabeça é saber do descaso da agricultura em Portugal, pelos sucessivos governos, quando temos terra e clima tão apropriados para cultivarmos, permitindo-nos a auto-suficiencia e ainda exportar! Para além de que resolveria ainda o problema do desemprego.
Estamos a ficar dependentes de especuladores e isso assusta-me imenso.
Bjo