sexta-feira, 18 de abril de 2008

Até que transite em julgado...

 

“LUTA. Teu dever é lutar pelo Direito. Mas no dia em que encontrares o Direito em conflito com a Justiça, luta pela Justiça(Eduardo Couture)

Desde que não seja com as próprias mãos.

A impressão que tive foi de ver voando ovos, tomates, facas, pedras e uma turba querendo fazer justiça com as próprias mãos. É a comoção nacional que faz andar inquéritos, processos e antecipa  julgamentos. É a  mesma comoção que não mais se recorda das Mães da Sé, das Mães de Acari...

O show está prestes a terminar. Mas, enquanto a tenda circense não for desarmada, os palhaços não tirarem suas máscaras, a caravana não seguir destino à outra cidade, outros crimes que acontecem diariamente passarão desapercebido por todos, inclusive àqueles que dizem respeito a todos. Por enquanto, a platéia está na expectativa do grand finale.

Daqui a algum tempo, apenas os estudantes disputarão boas vagas durante a sessão do juri. A imprensa? Ficará do lado de fora com suas câmeras e microfones, apenas informando via nacional da decisão tomada pelo povo que julga o povo. E mais um pouco a frente, sairá uma edição esgotada de "A Loucura, no Banco dos Réus"

E, ainda assim, todos fingirão se surpreender com o que é capaz de fazer o ser humano, principalmente àquele ser humano classe média e bem formado.  Como bem disse Julie, adoro agravantes, principalmente as mais óbvias. E, chegará o momento de sociólogos, psicólogos, analistas, terapeutas, mães-de-santos, videntes, padres, pastores, papais, mamães e filhinhos discutirem sobre o que está havendo com a humanidade, com as familias. Tentarão arrumar respostas para a obviedade do inexplicável.

Ainda assim, confio no Estado de Direito. E cada vez menos nos seres humanos que estão cada vez menos humanos do que os animais.

Calma com o andor, que o santo é de barro.

3 comentários:

Paola disse...

Então lindona!
Por isso prefiro meus cachorros...
Pena que não consegui transformar nenhum em gente, mas daí...
Deixa pra lá!
Abafa! huahua
Bjos

adaobraga disse...

Na comoção em que estamos, só pensamos na garota e na sua aflição, no seu desespero, na agonia, na tortura que passou.

Então me lembro das palavras de Pedro:

- Ah! ele é meu dono! Ele pode fazer o que quiser comigo, até me matar!

Tatá disse...

Na atualidade, só mesmo o Estado de Direito para podermos ter algum restinho de esperança.
Os seres, ah os seres humanos...estes estão se perdendo em cada pulsar do relógio. A vida já não anda como antes.

Beijos, amore.
Saudadona de você!!!