sábado, 7 de julho de 2007

Motivação

Impossível continuar dormindo após os cacarejos de Kiko e latidos de Kika, o papagaio e a maritaca que possuem algum trauma psicológico por não serem respectivamente, uma galinha e um cachorrinho. Mas tudo bem...fazer o que? Mas acabei me lembrando que um amigo meu está prestes a tomar uma decisão profissional. Aliás, esses meus amigos, cada um que aparece...cada decisão a ser tomada que me dá até arrepios. No entanto, para esse meu amigo tomar essa decisão ele quer voar de parapente. Como assim? O que uma decisão profissinal dele tem a ver com um vôo duplo de parapente? Pois é...na última decisão tomada ele voou de asa delta e terminou o namoro de longos anos. Mas agora ele quer radicalizar, voar no interior (vai ser em Saquarema), subir muito alto, fazer espiral, pirar o cabeção e pronto Marcelinho Almeida que se vire, pois no primeiro dia útil seguinte ao vôo, na segunda-feira, ele tem que tomar uma séria decisão. Mas como o homem e a natureza têm que estar em comunhão, esse radicalismo pretendido pelo meu amigo só depende mesmo de uma boa condição climática, do vento.

Uma vez estava conversando com uma amiga sobre isso. O que faz as pessoas usarem de outras coisas para que decisões pessoais sejam tomadas, que raio de motivações são essas que te impulsionam? No caso do vôo livre imagino que vencer um medo pessoal, um medo de tirar os pés do chão, o medo de conseguir ultrapassar um limite de uma rampa seja o maior desafio - afinal, ninguém nasceu com asas. O momento anterior ao vôo, pois o vôo em si é tranquilíssimo, mas a decolagem, o grande impulso que te faz correr, isso sim é o diferencial. A expectativa, o primeiro passo, o segundo passo, o terceiro passo e pronto lá está você falando todos os palavrões possíveis e dizendo: ai que lindo! A mesma coisa é na vida pessoal, nas decisões que tomamos que hão sempre de requerer um sonho idealizado, o posterior primeiro passo, uma corrida, um vôo a ser alçado. Mas muitas vezes é necessário uma ralação antes de que esse primeiro passo possa ser dado, um preparo maior. Dá medo? Claro que dá, mas uma vez conseguido você sempre vai querer mais e mais. É assim no vôo livre, é assim na vida.

Mas no caso do meu amigo - é o seu segundo vôo. Talvez ele esteja querendo isso...uma emoção a mais na sua vida. Talvez durante o seu vôo ele sinta, ao enroscar na térmica, a força da natureza em suas futuras decisões. Tudo bem, mas o cara precisa fazer isso voando? É...tem gente que voa, salta, mergulha, rapela, escala, caminha, surfa, lê um livro, tem filho, estuda, dança, pisa sem querer em ninho de surucucu, ou dá de cara com tamanduá bandeira. O lance é não ficar olhando para o teto e achar que não há caminhos a serem seguidos, ou esperar que alguém tome a decisão de voar por você. E por que o cara vai voar no interior, não poderia ser em São Conra
do? Pois é, dizem que São Conrado estará fechado para o vôo durante o PAN por ser rota aérea da segurança do evento - tráfego de helicópteros. Mas como ninguém sabe, ninguém viu e ninguém diz nada, na dúvida e por não ser a única rampa existente no Estado destinada ao esporte, então o cara decidiu que quer voar no interior por ser mais "irado", mais "radical", mais "drena".

E por falar em voar... me fez lembrar que o Kiko e a Kika estão quietinhos, que o Alpine cobrou minha presença, Marcelo me lembrou do curso de parapente, o outro me chamou para ser resgate em Andradas/MG, o outro para ir num campeonato...e toda vez que olho para o céu me lembro do Sabiá e do meu medo ainda a ser vencido. Ah! voltarei a dormir...

Como não vou postar nada esse final de semana, pois estarei enroladissima, então vou deixar um vídeo meu aqui. O problema é qual video colocar...asa ou parapente, parapente ou asa? Ah! Quer saber? Meus videos estão todos no Youtube, mas aqui vou colar um muito legal só por causa da música do Bon Jovi e Joan Jett e pôr sempre dizer na hora da decolagem - Ai Jesus! -, e na hora do espiral, sempre pergunto se vou cair e fico gritando como uma retardada (tudo palhaçada). Mas não é nada disso, meu amigo, o grande motivador do texto me disse que toda vez que pensa em mudança ele olha esse video, os meus gritos, a música, a paisagem e se questiona de muita coisa na vida dele, de suas decisões e as suas motivações. Esse video é para ele. E os votos à ele de um bom vôo na próxima semana e que os bons ventos estejam presentes, as térmicas estejam brotando ferozmente e os urubus estejam estampando no céu do interior. E que ele consiga atingir o seu objetivo posterior.




6 comentários:

Pedro disse...

Nunca tinha visto esse video. Quando foi?
Você é uma das poucas pessoas que conheço e que escreve super bem sobre vôo livre. Carrega alma nas palavras. Foi capaz de enaltecer o esporte, criticar a organização do PAN, falar de motivação e fechar com um belo vôo. Só falta alguém te arrastar pelos cabelos e te fazer perder o medo de ser piloto.

Mas continua me devendo o salto de para-quedas e vou te cobrar mulher.

Beijão
Vai no show?

Eu e Ela disse...

Sabe Betinha, quando fazemos o que gostamos, independente de ser voo livre, ficamos mais fortes, pelo menos nos sentimos mais fortes, Quando saí do mar no meu primeiro mergulho, tudo estava bem definido pra mim, mas......... To precisando de outro mergulho!!!!!
Essa descarga de adrenalina, acaba com aquele medo de coisas pequenas.
Concordo com o Pedro, "agora só falta você!!!!!"
Beijinhos.

Pedro disse...

Meu irmão está indo para o Rio e me disse que não vai rolar salto de para-quedas no aeroporto de JPA devido o trafégo aereo no PAN. Ele está puto. Escapou mulher. Já ia mandar ele e a galera PQD te arrastar e te jogar do avião.

ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh mulher uma hora tu não escapa.

muito bom o cara se inspirar em um esporte para tomar decisões, pelo menos é algo saudável, talvez durante o voo, olhando para o horizonte ele reavalie sua vida. Quando estou assim, querendo respostas, pego minha prancha e vou surfar ou então mergulhar, pois adrenalina o paraquidismo já me dá, tenho que seguir o caminho oposto, da paz total e o surf e o mergulho me proporcionam isso. Mas quem foi que pisou em ninho de surucucu? Vc não ia comentar isso se não tivesse rolado uma real na estória. Quem foi o maluco?

Beijão piu-piu ...vou nessa

Julie disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKK, NAO FOI O MALUCO....KKKKKKKK...FOI " A MALUCA!!!!!

Beth disse...

Pois é Pedro ... a sua pergunta foi respondida .... quem pisou em ninho de surucucu foi a maluca da Jullie. E ela acha graça .... e foi o Marcelo Almeida quem deu de cara com tamanduá bandeira.

Coisas coisas de Brasil.

E aproveitando que estou no coment ... o meu amigo (muso inspirador do texto) faltou chorar de emoção ao ler ... ah que fofo !!!

Beth disse...

Lindas palavras Sarah. Esse meu amigo encontrou no voo livre a resposta para seu dilema. Ontem ele me contou que sempre leva bronca do pai ao ficar revendo o tempo todo esse video do meu voo com o Renatinho, mesmo ele já tendo voado de asa, mas acho que os gritos e o barulho do vento sempre dão uma sacolejada maior nele.
Mas foi o que eu disse para ele, no fundo, a gente sabe o caminho a seguir. Mas a decisão dele já foi tomanda antes de voar e antes de ler o post. Ele me disse ontem que eu havia dito para ele se perguntar: vc é capaz? Ele se fez essa pergunta várias vezes e me disse: Beth eu sou capaz. E pronto ..... a pergunta e a resposta estavam dentro dele ... o voo vai ser apenas o fechamento da decisão.