quinta-feira, 22 de março de 2007

Solemnia Verba


Com um toque
Desnudas o sagrado de meu corpo com tuas mãos profanas
Teus dedos de várias mulheres
Teus lábios que não sabem amar.

Estás a tentar
Tua boca é infame
Doces mentiras soltas no ar
Direi não, até que meu sangue se derrame.

Envolve-me com tua volúpia
Sentes a convulsão de meu corpo
Mas é tempestade
Passa.

Sou utopia de teus delírios
O platonismo de teu desejo
Menti
Nunca serei tua.

2 comentários:

Kaká disse...

uau!coragem pra dizer mt, duro, fundo, com arte. sexy e cruel! às vezes é preciso.

Marcelo disse...

cruel demais
usou e jogou fora
diria sedutor. deu vontade de ser jogado no lixo também.
gostei muito