domingo, 11 de março de 2007

Gente boa

Eram seis horas da manhã e já estávamos devidamente acordados e dispostos a encarar a estrada de volta. Pedro teria que retornar para os EUA e mergulhar no seu doutorado.

- Bom dia TDHA - me disse Pedro, com um suave beijo no rosto.
- Bom dia Pe .... bom dia o que?
- Bom dia minha doce Dory!

?????????????????????????????????

Enquanto àquele "benza Deus" está no seu toillet matinal - "adoro falar essa palavra, herança de nossos irmãos franceses" - me pus a divagar sobre o cumprimento e sobre meu jeito Dory de ser. Será ? - pensei alto. E àquele espetáculo esculpido por Zeus me sai enrolado em uma toalha azul marinho e uma lâmina de barbear na mão, metralhando. - "Agitada, tagarela, encantadora, dispersa, esquecida, estabanada, pensa mil coisas ao mesmo tempo, visceral, calma ... calma que estou chegando, tuas passadas são maiores que as minhas. Uma doce Dory difícil de se acompanhar".

- Isso é uma crítica construtiva, ou apenas um sarcasmo ?
- Escreva e logo descubrirás.

Passei a viagem olhando a estrada, a paisagem, me despedindo do mar e céu azuis, das tartarugas marinhas, com a perna machucada levantada e encostada no parabrisa, com o "lápis tops" aberto e refletindo sobre meu atual estado de ser Dory.

Há algumas pessoas na nossa vida que nos conhecem melhor do que ninguém, melhor até mesmo, eu diria, do que nós mesmos. Pedro é uma dessas pessoas, capazes de dizer o que sinto, mesmo estando surfando, mergulhando ou rapelando em algum lugar do mundo. E para me chamar de Dory, devo ter deixado alguma lacuna no ar e ele está tentando me lembrar. É um puta amigo, mas vou confessar que àquele espetáculo de 1,85 mts, enrolado numa toalha azul, ser apenas meu amigo é um castigo dos céus. Se, está por perto, espanta todos os meus pretendentes e se está longe é o consolador de minhas mazelas.

- Tem que dizer que eu estava enrolado numa toalha azul? - me perguntou enquanto dirigia

Tenho outros amigos também que me desnudam com uma facilidade incrível, impossível me esconder deles, pois são craques em pressentir minha energia. "Senti seu perfume de longe". Sentiu meu perfume de longe ? Isso não é para todas, então, meninas logo apresentar-vos-ei meu amigo Marquinhos. Descobri que Marquinhos odeia meu silêncio, se fico longe do bendito Orkut, se fico sem ligar, ele prontamente pega o telefone e diz - "Tudo bem doutora?". Tenho Marcos como um irmão mais novo, um filho. Gosto de ouvir seus dilemas, seus conflitos e ser seu porto seguro nas respostas que ele tanto busca. "Confio em ti" - me disse uma vez. Que perfume é esse ? Top secret, não quero correr o risco de ele comprar e sair presenteando suas namoradinhas e depois não mais sentir minha presença. Uma vez recebi um torpedo -"não vou mais voltar a estudar, desculpa". Fiquei olhando e pensei não na decisão repentinamente tomada, mas no pedido de desculpas. Liguei, conversamos, ele disse sofrer pressão para não pensar, argumentei e dias depois ele me ligou serelepe e feliz - "Optei por pensar". Temos a capacidade, quando estamos juntos, de dar risadas repentinas à lá Rabugento. Amigo, ainda não descobriram que só ficamos rindo um da cara do outro, mas deixe que os cães ladrem, que a nossa caravana risonha continuará seguindo. Quero casar, me formar, fazer concurso para delegado e dar o pontapé no traseiro de muita gente sem graça e fútil - ele sempre diz esperando meu feedback. Calma, você só tem 20 e poucos anos. E me mostra fotos da adolêscencia; primeiro vôo duplo de asa, o pai piloto - pausa - Marquinhos teu pai é filé hein ? Eu nunca vou apresentar meu pai para você, acaba virando minha madrasta. E acorda, trabalha, estuda e faz isso uma rotina cansativa, mas prazerosa. "Faltei aula na sexta, estava cansado, estou me cobrando" - me disse ele angustiado. Enfim, se encontrou consigo mesmo. E o resto virá ao seu devido tempo. "Doutora e àquela sua amiga gatinha?" - ele sempre indaga. Tudo bem, faço tudo por ti, mas vocação para Santo Antônio eu não tenho.

- Sacanagem. Estou dividindo você com o Marquinhos ? Àquele baixinho, careca e voador sem graça ?
- Eu ia falar sobre o metrossexualismo dos meninos de 20 e poucos anos. E ele perguntou se eu ia falar dele nessa nova crônica.
- Dory...você lembrou que ele perguntou se você também ia escrever sobre ele!
- Pedro, você não presta! Mas eu ia falar da vaidade, da calvice precoce chegando e não da nossa amizade.
- Amigos reverenciam amigos...doce Dory.
- Pára de me chamar de Dory?
- Ainda esqueces algo!
- Amanhã é niver do Marquinhos
- Muito bem doce Dory! Lembrou! Me leva no aeroporto depois?
- Que aeroporto? Ah...tá! Quando?
- Esquece !
- E o meu joelho? Como vou dirigir?
- Esqueci !


A quatro mãos
Feliz Aniversário Marquinhos

Beth e Pedro

2 comentários:

Kaká disse...

Lindo! Presentaço de aniversário pro Marquinhos, heim??? Felizardo ele! E o Pedro tb! :)
Adorei a frase q diz q amigos reverenciam amigos. Encontrei minha razão de ser - rssss!!!! Abraços e melhoras meeeeeeeeeeeeeeesmo pra esse joelho! :)

Alexandra disse...

bonito o testo do marquinhos ele merece tomara que ele goste.