quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Ai! Que Medão!!



Temos medos diversos que nos assustam, nos limitam, nos deixam em pânico. A Sindrome do Pânico, vulgarmente falando, eu diria ser um medo de tudo que lhe cerca, ou de certas coisa que lhe afligem. Você começa a pensar nelas e do nada teu coração dispara, você começar a suar frio, tem a sensação de desmaio, da morte iminente. Vejo a SP como um grande medo que você sente de algo que você não sabe o que é, ou finge de conta que não sabe. Menina, não brinque com coisas sérias. Epa! Sei que a SP é uma doença muito séria, motivada por uma ausência de um desequilibrio entre a serotonina e a noradrenalina. Sim, eu sei disso, afinal, depois de ter passado da faixa etária onde ela mais ocorre, entre os 18 e 35 anos, consegui desenvolver a bendita e temida SP. Mas estou em paz com minha SP e nunca precisei tomar remédios para controlá-la, ela veio, me incomodou, foi descoberta, mas tenho muita coisa para fazer e pouco tempo para perder com ela no momento. Chegamos em um acordo. Ela não me incomoda e eu procuro ficar mais zen. E assim é feito. Mas depois eu falo dela. É um post que estou me devendo.

Estou a falar de outros medos, mas alguns, é claro, acabam também desenvolvendo a SP.

Há aqueles que têm medo de voar de avião, outros de asa-delta, outros de morar sozinho, outros do mar, outros de serem felizes após uma separação, outros de casar, outros de serem pais; ainda há àqueles que tem medo de serem filhos, outros de amar, outros de morrer, outros de envelhecer, outros de sorrir, outros de não terem sucesso profissional e muitos ainda, têm medo de crescer.

Crescer? Sim, crescer. Pois quando a gente cresce nossos medos aumentam. A Cuca ficou para trás, Conde Drácula não existe e você acaba descobrindo que outros fantasminhas imaginários surgem. Doí crescer, doí mais ainda se machucar, doí mais ainda saber que não tentou. Os nossos medos, na verdade, são reflexo das cobranças que temos da sociedade em relação as nossas conquistas, mas, na verdade, somos os maiores cobradores de nós mesmos.

Ri muito com a Jullie Show em seu mais novo texto. Ela fez uma síntese sobre seu medo de andar de avião. No comentário indaguei: como assim Jullie? Você é esportista radicalissima, piloto de asa-delta, vai voar de fly boat, parapente, faz rapel, mas tem medo de avião? Ela me respondeu que prefere as coisinhas não motorizadas. Mas conseguiu falar de seu medo, digerí-lo de forma divertidissima e que no fundo só acrescentam mais à sua vida.

Parei no espaço de um visitante, o Vinicius, que mora sozinho. E fiquei pensando: esse não teve medo de arriscar e dá verdadeiras lições sobre como lavar roupa, como sobreviver a um microondas. Ah! Menino...fofo...quantos anos você tem? Eu também moro sozinha, já morei sozinha em São Paulo, mas hoje estou mais próxima dos meus pais, mas Vinicius virou meu idolo, meu exemplo de como saber morar sozinho e rir das nossas situações. Cara! Você já ficou sem papel higiênico no final de semana, sem dinheiro no bolso e sem conhecer um vizinho simpático? Ah! eu fiquei e é simplesmente horrivel. Já bateram na tua porta, na hora da novela e pediram uma xicara de açúcar e café? Comportamento típico de vizinhos que querem se aproximar do mais novo alienigena do condomínio? Ah! Já passei por isso também e depois desse dia, ficou mais fácil pedir um rolinho de papel higiênico na porta do lado.

Mas temos cada medo bobo e muitos deles conseguem atrapalhar toda nossa existência de felicidade. Bem, se for uma Sindrome do Pânico, então procure um médico com urgência. Mas se for àquele medinho bobo de ser feliz, então, se olhe no espelho e perceba que você merece muito mais do que sentir medo.

Ah! Mas estou com medo. É tão estranho alguém falar que você está pronta. Ou quando alguém diz que só depende de você, a hora que você quiser ir a gente vai.

Ah! Mas estou com medo.

Meu anjinho do bem ficou buzinando no meu ouvido: - medo é o melhor aliado àqueles que respeitam as forças da natureza. Olha, presta atenção em como eles voam alto em cima da tua cabeça. Você está no meio dela e eles estão acima lhe dizendo seja bem vinda. Hoje, eles lhe presentearam lhe mostrando onde ir, como ir e você ficou no meio dela. Que presente você recebeu.

Ah! Mas estou com medo. Que merdinha sentir medo.


7 comentários:

Ana Paula disse...

Sempre digo pro meu filho: medo na medida certa garante a nossa sobrevivência. Medo demais nos faz apenas sobreviver, sem viver. É preciso pensar para ter coragem.
O danado já entendeu direitinho. Quando vê alguém fazendo uma coisa corajosa demais para os padrões dele, me diz: "coragem idiota, essa, né mamãe? Não pensou antes..."
Tenho meus medos. Acho que são muitos, até. O que me ajuda é que minha memória absurdamente ruim me faz esquecer de quase todos.
Beijos, Bethíssima

Adão Braga disse...

Beth querida... quando jovem, li algumas definições que memorizei. Entre elas havia as seguintes:

Detergente: um cheiro que substitui um mal cheiro.

Coragem: A arte de ter medo sem que os outros percebam...

Porém, você tá com medo ou insegura? Com medo ou indecisa?

Tantas expressões se pode nos vir com esta leitura...

Ai de nós se a vida fosse como se ver nos folhetos dos TJ´s

DM disse...

É preciso ter um pouco de "medo" para sobreviver nessa selva que vivemos hoje .... Se tivermos coragem demais... podemos nos estrepar como disse a AP... Meu afilhado de Porto Alegre com 18 anos, sábado passado voltando de uma festa a pé, foi literalmente espancado por tres assaltantes, justamente por não ter medo de andar sózinho. A coragem do garoto, quase acabou em tragédia, mas graças ao céus, tá tudo bem ...

Por tanto um pouco de medo, nos dias de hoje, é mais do essencial ... Só não pode ser compulsivo, a ponto de nos impedir de viver as coisas boas da vida! Se for orgânico como a SP, precisa e deve ser tratado ! Afinal já nascemos afligidos pelo medo, sempre do desconhecido, questão de superação e coerência !!!

Beijocas Beth, adoro esse espaço !!!

Vinicius disse...

Oi Beth... então pra falar a verdade medo eu nunca tive.. mas já passei por cada situação morando sozinho...
A ponto de ter que fazer só uma refeição por dia rs... e de não ter ninguém pra recorrer.. rs é dose ...
Ficar doente tbm é rui pra quem mora sozinho...

Mas o que a gente precisa fazer é encarar tudo com naturalidade e humor... se não vc não aguenta mesmo...

vou voltar aqui mais vezes rs..

Marcelo Holanda disse...

Dê uma olha no meu blog, sobre clássico da Sessão da Tarde.
www.ex-filmes.blogspot.com

Vlw

Beth disse...

Adão = nem com medo e nem insegura, ou indecisa. Apenas medinho bobo...deu para entender? Dizer sim...as vezes dá medo.

AP e DM = medos exarcebados são limitadores de sonhos sempre. SP é um assunto à parte, depois falo dela.

Marcelo = já olhei e gostei.

Vinicios = era você meu anjo? Ohhhhhhh pensei que fosse o outro. Teu blog é fofo.

Mélica disse...

Oi Beth!! No meu post de hoje convido você a participar do "FEEDBACK", respondendo a seguinte questão: "A coisa mais importante que aprendi ao longo dos anos?" através de um post em seu blog! Agradeço se desejar participar!;)
Beijão e um ótimo domingo!