sábado, 28 de julho de 2007

Era Uma Vez...


Conta uma lenda dos índios sioux que, certa vez, Touro Bravo e Nuvem Azul chegaram de mãos dadas à tenda do velho feiticeiro da tribo e pediram:

- Nós nos amamos e vamos nos casar. Mas nos amamos tanto que queremos um conselho que nos garanta ficar sempre juntos, que nos assegure estar um ao lado do outro até a morte. Há algo que possamos fazer?

E o velho, emocionado ao vê-los tão jovens, tão apaixonados e tão ansiosos por uma palavra, disse:

- Há uma coisa a fazer, mas é uma tarefa muito difícil sacrificada. Tu, Nuvem Azul, deves escalar o monte ao norte da aldeia apenas com uma rede, caçar o falcão mais vigoroso e trazê-lo aqui com vida, até o terceiro dia depois da lua cheia. E tu, Touro Bravo, deves escalar a montanha do trono; lá em cima, encontrarás a mais brava de todas as águias. Somente com uma rede deverás apanhá-la, trazendo-a para mim !

Os jovens abraçaram-se com ternura e logo partiram para cumprir a missão.

No dia estabelecido, na frente da tenda do feiticeiro, os dois esperavam com as aves.

O velho tirou-as dos sacos e constatou que eram verdadeiramente formosos exemplares dos animais que ele tinha pedido.

- E agora, o que faremos? Os jovens perguntaram.

- Peguem as aves e amarrem uma à outra pelos pés com essas fitas de couro. Quando estiverem amarradas, soltem-nas para que voem livres.

Eles fizeram o que lhes foi ordenado e soltaram os pássaros.

A águia e o falcão tentaram voar, mas conseguiram apenas saltar pelo terreno. Minutos depois, irritadas pela impossibilidade do vôo, as aves arremessaram-se uma contra a outra, bicando-se até se machucar. Então o velho disse:

- Jamais esqueçam o que estão vendo, esse é o meu conselho. Vocês são como a águia e o falcão. Se estiverem amarrados um ao outro, ainda que por amor, não só viverão arrastando-se como também, cedo ou tarde, começarão a machucar um ao outro. Se quiserem que o amor entre vocês perdure, voem juntos, mas jamais amarrados.

Mensagem recebida por e-mail - Extraído do livro - O Poder da Solução de ROBERTO SHINYASHIKI


*** E quem quiser que conte outra. Mas nem tudo é faz-de-conta, então, se não der para voar junto...liberte.

5 comentários:

André Neves disse...

Boa noite.

Lindo texto. :)
Devia ter lido ela alguns anos atrás... hehe...

Grande abraço

André Neves

AP disse...

Ah, faço minhas as palavras do moço acima. Se bem que, não perdi coisa boa, não... rs

Anônimo disse...

Então vou contar outra:

---------------------------
Muito tempo atrás... depois do mundo ser criado e da vida completá-lo, houve um dia, numa tarde de céu azul e calor ameno um encontro entre Deus e um de seus anjos.

Contam que Deus estava sentado, calado, sob a sombra de um pé de jabuticaba.

Lentamente Ele colhia uma ou outra fruta, saboreava sua criação negra e adocicada.

Fechava os olhos e pensava...
Permitia-se um sorriso piedoso
Mantinha seu olhar complacente.
Foi então que, das nuvens, um de seus muitos arcanjos desceu e veio em sua direção...

Tinha asas lindas, brancas, imaculadas.

Ajoelhou-se aos pés de Deus e falou:

- Senhor, visitei sua criação como pediu, fui a todos os cantos.
Estive no sul, no norte, no leste e oeste, vi e fiz parte de todas as coisas... Observei cada uma de suas crianças humanas, e por ter visto, vim até o Senhor para entender o porque... Por que cada uma das pessoas sobre a terra tem apenas uma asa?

Nós anjos, temos duas...
Podemos ir até o amor que o Senhor representa sempre que desejarmos.
Podemos voar para a liberdade sempre que quisermos
Mas o humano, com sua única asa, não pode voar Não podem voar com apenas uma asa...

Deus na brandura dos gestos, respondeu pacientemente ao
seu anjo:

"Sim, eu sei disso.
Sei que fiz os humanos com apenas uma asa"

Intrigado com a consciência absoluta de seu Senhor, o anjo queria entender e perguntou:

"Mas porque o Senhor deu aos homens apenas uma asa quando são necessárias duas para poder voar, para poder ser livre?"

Conhecedor de todas as respostas, Deus não teve pressa de falar...
Comeu outra jabuticaba e então respondeu:

"Eles podem voar sim, meu anjo
Dei aos humanos apenas uma asa para que eles pudessem voar mais e melhor que Eu ou vocês, meus arcanjos... Para voar, meu amigo, você precisa de suas duas asas... Embora livre, sempre estar sozinho. Talvez da mesma maneira que Eu... Mas os humanos...Os humanos com sua única asa precisarão sempre dar as mãos para alguém a fim de terem suas duas asas. Cada um deles tem na verdade, um par de asas, uma outra asa, em algum lugar do mundo que completa o par, assim eles aprenderão a respeitar-se, pois ao quebrar a única asa de outra pessoa podem estar acabando com suas próprias chances de voar.

Assim meu anjo, eles aprenderão a amar verdadeiramente outra pessoa... aprenderão que somente permitindo-se amar, eles poderão voar.

Tocando a mão de outra pessoa, em um abraço afetuoso, sincero, eles poderão encontrar a asa que lhes falta e poderão finalmente voar.
Somente através do amor irão chegar até onde estou... assim como você meu anjo, e eles nunca estarão sozinhos, quando forem voar".

Deus silenciou em seu sorriso.

O anjo compreendeu o que não precisava ser dito. Que possamos encontrar a nossa outra asa, para podermos voar!
-----------------------------

Beth disse...

Acho esse texto lindo demais. Não gosto do Roberto Shinyashiki ... mas vou confessar que foi uma das belas dicas que ele deixa no ar.

Mas o principal ele disse: a palavra respeito por quem se ama - e a liberdade é a maior prova de amor, de respeito. Não àquela liberdade vigiada, nem a condicionada - simplesmente liberdade. Amar, Amor..é liberdade

Beth disse...

É meu caro anônimo...eu diria que as almas gêmeas só possuem uma asa. Ela sempre estará a procura de seu outro par. E quando eles se encontram, dão-se as mãos e voam juntos.
Lindo! Conheço esse texto...é uma obra prima, direcionada aos grandes encontros dessa vida. Mas àqueles encontram que se perpetuam no amor verdadeiro.

Parabéns
Adorei sua estorinha